"O Brasil não está à beira do precipício", diz Bird

O presidente do Banco Mundial, James Wolfenson garantiu hoje cedo em Genebra, na Suíça, em entrevista, que "o Brasil não está à beira do precipício. O País tem reservas sólidas e é parte essencial da comunidade internacional". "Não tenho medo da situação do Brasil. Obviamente pode-se fantasiar sobre o futuro do Brasil de forma negativa, mas eu não compartilho desta perspectiva", disse ele. Para ele, qualquer um dos candidatos que vencer a eleição presidencial, saberá que terá de acalmar os mercados e pensar no futuro. De acordo com Wolfenson, "o Brasil está na melhor posição possível".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.