O caminho que faz a diferença. 'É preciso gostar muito de gente'

Shiba aposta na intuição, mas também faz investimentos em pesquisas a cada dois anos para definir os rumos do negócio. Fundador do delivery China in Box conta que o relacionamento é importante para qualquer empresa

RENATO JAKITAS, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2012 | 02h10

O sucesso do grupo TrendFoods, administrador de marcas como China in Box, Gendai, entre outras, deve-se muito ao fato de Robinson Shiba dar atenção ao conselho do pai, que sempre exaltou o empreendedorismo como forma de garantir a sobrevivência da família.

Formado em odontologia - assim como o filho -, o pai de Shiba mantinha em São Paulo uma loja especializada em vender materiais para construção.

Durante muito tempo, o negócio foi administrado paralelamente à clínica da família na zona sul da capital - mais tarde, o empreendimento seria vendido para uma grande rede varejista.

"Meu pai sempre dizia que ter um segundo negócio é um seguro. Ainda mais para o dentista. Se acontecer de machucarmos a mão, a gente para de trabalhar e, com isso, não temos receita. O dentista tem de ter outra fonte de rendimento", lembra o empresário.

O 'seguro' de Shiba foi no setor de alimentação e ele cumpriu a contento a lição doméstica, afinal, seus negócios faturaram R$ 239,8 milhões no ano passado. "Acabou que não deu para conciliar a carreira de dentista, como meu pai. Fiquei com os negócios", diz Shiba.

O empresário participou do Encontro PME com pequenos empresários. Confira agora os principais trechos.

Relacionamento

O grupo TrendFoods é formado por 234 unidades da marca China in Box, Gendai, Brevità e Owan. Questionado sobre o sucesso do negócio, Shiba destacou o relacionamento com os franqueados como ponto de destaque. "Eu gosto de gente", diz ele. "Faço reunião com a rede pelo menos quatro vezes por ano. Meu celular todo mundo tem o número e pode me ligar no final de semana ou feriado. Quando o franqueador parar de atender seu franqueado, ele não pode mais estar à frente do negócio. Tem de virar presidente do conselho, fazer alguma outra coisa", afirma o empreendedor de êxito.

Shiba também foi questionado sobre o baixo índice de desligamento de franqueados da rede (5% ao ano). "O negócio tem de ser bom. Se ele ganhar dinheiro, pagar a escola do filho, comprar apartamento, montar a segunda loja, não vai sair."

Erros

O empresário explicou ainda que não prevê novos aportes em duas marcas administradas pela TrendFoods: Brevità, de culinária italiana, e Owan, voltada à cozinha oriental. Resultados financeiros abaixo do esperado motivaram a decisão. "Não é a primeira vez que isso acontece. Cheguei a ter 13 negócios simultâneos. Hoje são basicamente dois. Então, errei em onze. Tentaria de novo? Sim, em todos eles. Eu erro por fazer."

Mídias Sociais

O investimento em marketing e publicidade sempre foi visto pelo fundador do China in Box como um dos pilares para a expansão do grupo. No início da operação, quando Shiba trabalhou por dois anos apenas com lojas próprias, 25% do faturamento era revertido para ações de comunicação. Hoje, 7% do dinheiro vai para campanhas de divulgação.

A novidade nesse processo, conta ele, é o interesse da empresa nas mídias sociais, que começam a pautar, inclusive, o lançamentos de produtos.

"Temos uma agência que monitora as redes sociais e isso alimenta muito o nosso departamento de marketing. É uma coisa em que todo mundo tem de investir. É barato e certo. A cada ano cresce a parcela destina às redes sociais do dinheiro reservado para o marketing. Com R$ 1 mil você hoje faz (redes sociais)", concluiu.

Para pavimentar sua estrada

no empreendedorismo, Shiba

reinvestiu todo o lucro que

obteve nos dois primeiros anos.

Isso deu fôlego ao negócio.

Meritocracia

O regime de méritos é adotado por Robinson Shiba. Assim, ele procura dividir os lucros de suas ações com os colaboradores.

Recuos

Avançar em novos setores

e recuar em outros causam

prejuízos para a empresa, mas

é o preço pago pela inovação.

2

3

4

1

Com 217 lojas das marcas China in Box e Gendai, o grupo TrendFoods de Robinson Shiba prepara-se para dar curso a um ambicioso plano de expansão nos próximos cinco anos. A ideia é lançar 200 novas unidades pelo Brasil - 100 por meio da abertura de franquias e a outra metade com capital próprio. Para viabilizar o plano, Shiba vendeu recentemente participação minoritária da empresa ao fundo de investimentos Laço Management, braço do grupo norte-americano Riata. O valor da negociação não foi divulgado.

Contudo, o dinheiro injetado pelo novo parceiro foi suficiente para financiar o ciclo de investimentos, que prioriza a bandeira China in Box Express. A marca foi modelada para funcionar dentro de shoppings, sobretudo aqueles voltados ao público das classes C e D.

"Teremos 60 lojas próprias do China in Box Express e 40 do Gendai. O investimento para montar uma unidade dentro de shoppings cresceu bastante nos últimos anos e a quantidade de franqueados com capacidade financeira para isso diminuiu. Como a gente quer penetrar territorialmente e proteger o nosso espaço, tomamos a decisão de montar por conta própria essas lojas", afirma Shiba.

Com faturamento de R$ 239,8 milhões em 2011, atualmente o grupo TrendFoods tem 234 restaurantes, contando as 16 loja da marca Brevità - especializada em culinária italiana - e uma da Owan, de cozinha oriental. Recentemente, o empresário informou que, motivado por resultados abaixo do esperado, não deverá investir mais nessas duas marcas.

Lucas Blanco

Coach associado

Magdalena Cuevas

Autônoma

Arlan Roque

Cacau Show

Marcos Archina

MW Capital

Claudio Issegue

Parakids

Cybelle Sartori

Tintas Arco-Íris

Osmar Santos

Catálise consultoria

Luis Bessa

Perfil Portas e Janelas

Cenário

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.