'O mercado de trabalho está ávido por profissionais com boa qualificação' Tecnológico em polímeros

O coordenador do curso tecnológico em polímeros da Faculdade de Tecnologia (Fatec) Oswaldo Cruz, Jose Mauro Diniz Oliveira, afirma que o mercado de trabalho está ávido por profissionais com essa formação. "Dados da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplst) indicam que entre 2009 e 2010 o número de vagas aumentou 7,7% e, desse total, 84% dos profissionais estavam ligados à área de produção."

CRIS OLIVETTE, O CADERNO SOBRE EDUCAÇÃO UNIVERSITÁRIA CIRCULA TODA ÚLTIMA TERÇA DO MÊS (LEIA O PRÓXIMO NO DIA 27/9), O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2012 | 03h09

Oliveira diz que a expansão do consumo beneficiou toda a cadeia do plástico e novos postos tendem a ser abertos. "O plástico encontra diversas aplicações técnicas e está presente em bens como automóveis e aeronaves e também em outros segmentos como vestuário, embalagens e utensílios eletrodomésticos." Segundo ele, esse profissional pode atuar na supervisão de produção ou de transformação, gestão de processos de qualidade, formulação e reformulação de materiais poliméricos, pesquisa e desenvolvimento.

"O objetivo do curso é preparar o estudante para identificar, analisar e caracterizar polímeros. Os alunos são capacitados para apresentar soluções viáveis sob o ponto de vista técnico e econômico", afirma o professor. Oliveira acrescenta que os egressos podem requerer ao Conselho Regional de Química (CRQ) o registro profissional em carteira.

Segundo ele, o estágio é facultativo, "mas os estudantes costumam estagiar para aprimorar seus conhecimentos em áreas nas quais têm interesse técnico e profissional".

Estagiária. A estudante Caroline Miranda Ramos, de 20 anos, está no segundo ano do curso tecnológico em polímeros da Fatec Oswaldo Cruz, e há três semanas iniciou estágio na Incom Technical, empresa que desenvolve produtos plásticos para indústria de cosméticos, automotiva e de eletrodomésticos. "Estou trabalhando na área de engenharia de desenvolvimento de produtos. No momento, estou organizando os documentos de Planejamento Avançado da Qualidade do Produto (APQP), que armazena as normas técnicas. Também tenho contato com a linha de produção", conta ela.

Caroline diz estar bastante satisfeita com a experiência. "Agora, posso colocar em pratica e vivenciar tudo o que aprendi na sala de aula." Depois de formada, a jovem quer atuar no ramo industrial. "Preciso ver como estarei posicionada no mercado ao terminar o curso, para definir se farei outra graduação em engenharia química ou de materiais, ou uma pós na área de plástico mesmo."

salário inicial

R$ 3 mil

Duração

6 semestres

Disciplinas

Tecnologias de termoplásticos e borrachas, reologia de polímeros, síntese de polímeros, formulação de tintas, vernizes e masterbaches

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.