'O mercado está bom para os bons profissionais'

Gostar de literatura e do estudo de línguas são ingredientes básicos para quem deseja ingressar no curso de letras. Após a formatura, esse bacharel costuma trabalhar como professor de português ou de outro idioma, bem como dar aula de literatura nacional ou estrangeira.

CRIS OLIVETTE, O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2014 | 02h07

Mas o mercado de trabalho também oferece oportunidades em editoras, para trabalhar com revisão e tradução de textos, além das áreas de secretariado bilíngue e de interpretação.

Segundo a gerente executiva da Faculdade Cultura Inglesa, Lizika Goldchleger, a instituição oferece licenciatura em inglês para suprir a demanda do mercado, carente de profissionais qualificados nas escolas públicas e privadas, além das instituições de ensino de língua inglesa. "O mercado está bom para os bons profissionais. A carreira promete ser encorajadora para professores de alto nível. Aqueles que concluem uma pós-graduação, também podem lecionar em faculdades."

A professora acrescenta, ainda, outras opções de atuação. "Ele poderá trabalhar em empresas ou entidades que preparam ou aplicam exames internacionais como os exames da Universidade de Cambridge, TOEFL, TOEIC, ILEC, IELTS, etc. Ainda nessa área, estará habilitado a redigir exames para concursos públicos em geral ou vestibulares. Outra opção são empresas de legendagem de filmes e de tradução."

Lizika diz que para ter bom desempenho, o estudante deve gostar de ler, ser curioso e querer aprofundar seus conhecimentos. "Ele não pode ficar apenas na superfície dos fatos, precisa almejar a excelência e estudar sempre para manter o domínio do idioma e das expressões idiomáticas", afirma.

Segundo ela, um diferencial da formação oferecida pela Faculdade Cultura Inglesa é o sistema de tutorias. "Esse sistema promove encontros semanais, presencias ou online, nos quais o aluno recebe do professor acompanhamento e orientação para ampliar sua formação e estimular sua motivação."

Por considerar o papel do professor extremamente importante para a sociedade, o estudante de 18 anos, Hugo Vaine de Carvalho, não teve dúvidas quanto a carreira que queria seguir. "Eu já estudava inglês há quatro anos e vi pela internet que a Cultura Inglesa oferecia licenciatura nesse idioma. Decidi fazer o curso para contribuir na formação de outras pessoas. No futuro que fazer pós-graduação e lecionar em uma faculdade."

Carvalho está no segundo semestre e faz estágio na unidade do Itaim-Bibi da escola Cultura Inglesa. "Atuo em várias áreas. Junto aos alunos, esclareço dúvidas, aplico provas substitutivas e dou aulas de apoio pedagógico. No centro multimídia, organizo material didático e atendo alunos que querem levar livros emprestados ou realizar devoluções", conta.

Entre as instituições que oferecem formação em letras estão a Universidade Estadual Paulista (Unesp), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Universidade Presbiteriana Mackenzie, Universidade de São Paulo (USP), Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), e as Universidade Federais da Bahia (UFBA), de Minas Gerais (UFMG), do Rio de Janeiro (UFRJ), do Rio Grande do Sul (UFRGS) e de Santa Catarina (UFSC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.