O Novo VW e-Delivery inicia nova etapa na história do transporte de carga no País
Conteúdo Patrocinado

O Novo VW e-Delivery inicia nova etapa na história do transporte de carga no País

Lançamento do primeiro caminhão elétrico desenvolvido e produzido em série no Brasil estabelece o começo de uma transformação na distribuição de mercadorias

Volkswagen, Estadão Blue Studio
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

29 de julho de 2021 | 13h41

A Volkswagen Caminhões e Ônibus antecipa tendências dos mercados maduros no Brasil com o lançamento comercial do e-Delivery, a versão 100% elétrica da família de caminhões destinada a atender operações de distribuição de carga urbana.

É, sem dúvida, um momento histórico tanto para a fabricante quanto para a indústria automotiva e o transporte de carga. Afinal, se trata do primeiro caminhão elétrico desenvolvido e produzido em série no País.

“Mais do que vender produtos ou soluções em serviços, o propósito de uma empresa como a Volkswagen Caminhões e Ônibus é unir o transporte de pessoas e bens ao uso de energias cada vez mais renováveis e limpas, com produtos ambientalmente responsáveis”, resumiu Roberto Cortes, presidente e CEO da VWCO, durante evento de lançamento do modelo em meados de julho.

Duas configurações e quatro variações

O VW e-Delivery surge em versões 4x2, 11 toneladas de Peso Bruto Total (PBT), e 6x2, para 14 toneladas. Ambas são equipadas com um conjunto de seis pacotes de bateria, garantindo uma autonomia de até 250 km. Alternativamente, pode-se configurar o veículo com três pacotes de bateria conforme características de operação. Alcance mais que suficiente para cumprir tarefas de entrega nas cidades.

Inovador, o modelo tem arquitetura modular inédita dentre os caminhões acionados por baterias. O motor, com 300 kW e torque de 2.150 Nm (219,2 kgfm), foi instalado na traseira. A solução abriu espaço para acomodar as baterias no centro do chassi, além de proporcionar variações de distâncias entre-eixos. No caso, três possibilidades, de 3.300 mm, para atender a legislação de restrição de circulação (VUC),  4.000 mm e 4.400 mm, a fim de alinhar o veículo de acordo com a necessidade da operação de transporte.

O sistema de regeneração, também inovador no segmento, permite aproveitar até 40% da energia proveniente das desacelerações e frenagens e revertê-la em energia para recarregar as baterias, garantindo autonomia e sustentabilidade.

O VW e-Delivery tem a bordo tecnologia de ponta com os mais refinados sistemas de inteligência. Todos os caminhões contam com a caixa do sistema RIO de série. E também chegam às lojas com exclusiva consultoria comercial, novos planos de manutenção Volks|Total e-Prev e e-Prime, além de uma estrutura de serviços e pós-vendas Volks|Care.

Investimento de R$ 150 milhões

O e-Delivery é um projeto que VWCO embala desde 2017, quando apresentou pela primeira vez um protótipo em um evento de tecnologia em Hamburgo, na Alemanha. Ganhou impulso com anúncio, em 2018, da intenção da Ambev de adquirir 1.600 unidades e apoio com o alinhamento do Grupo Traton, do qual a montadora faz parte.

O modelo elétrico da VWCO surge depois de quatro anos de desenvolvimento e investimento de R$ 150 milhões. O caminhão foi desenvolvido a partir de operações reais da Ambev, além dos testes com a engenharia da fabricante. O time acumulou informações oriundas de mais de 400 mil km rodados por todo tipo de clima e piso, o que inclui terrenos alagados além de testes em laboratórios.

A oferta elétrica começa a ganhar o País aos poucos, a partir de praças como São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Uma programação inicial já se destina a pedidos firmes. A Ambev, por exemplo, receberá 100 unidades até outubro. A Coca-Cola Femsa também encomendou um lote de 20 e-Delivery com entregas previstas a partir de setembro. A JBS receberá uma unidade a fim de avaliar a novidade antes de se decidir por uma frota.

Negócio sob medida a partir de consultoria técnica

Juntamente com o e-Delivery, a VWCO oferece um pacote de serviços completo ao transportador que pretende adotar a solução elétrica. A venda envolve consultoria para avaliar perfil e necessidades da operação e, assim, determinar quantidade de caminhões, adequação e tamanho da infraestrutura elétrica e dimensionamento dos carregadores. Para proporcionar uma solução sustentável de ponta a ponta, a montadora, por meio de seus parceiros, poderá oferecer fornecimento de energia sustentável para a operação dos novos e-Delivery

Para um mercado inédito, a VWCO criou modelo de negócio, que vai além da simples aquisição do caminhão. A exemplo do sistema de produção criado para a fábrica de Resende (SP), na qual fornecedores participam da construção dos veículos, a montadora reuniu renomadas empresas que abraçaram a causa para a formação do e-Consórcio.

No grupo estão CATL e Moura, para fornecimento, gerenciamento, distribuição, manutenção e destinação final das baterias. A WEG fica por conta do motor elétrico. A Meritor produz eixos. A Bosch é responsável por sistemas eletrônicos. A Moura monta e gerencia a vida útil das baterias. A Semcon fornece serviços de engenharia. A Siemens e ABB providenciam fornecimento de infraestrutura e carregadores. A GD Solar fornece enegia limpa. A Eletra entra como parceria estratégica com projeto de retrofit.  Por fim, a Volkswagen Financial Services fica responsável por fornecer soluções financeiras para aquisição dos veículos.

Serviços criados para o caminhão elétrico

Os novos VW e-Delivery nascem conectados com o pacote E-Fleet, exclusivo para o veículo 100% elétrico, por meio da plataforma RIO.

Com o suporte técnico no apoio, o transportador tem clareza para migrar na era da eletrificação em um negócio no qual cada centavo faz diferença. Não se trata de um produto barato, parte de R$ 780 mil, mas um conjunto de serviços do pós-venda fornece ferramentas para buscar o menor custo de propriedade ao longo da vida do caminhão.

Além de planos de manutenção sob medida para o modelo elétrico, a VW Caminhões e Ônibus integrou recursos específicos de gestão e telemetria voltados ao transporte de carga eletrificado a fim de manter o veículo a maior do tempo em serviço.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.