‘O PROBLEMA É QUE ME APEGO AOS HÓSPEDES’

Vera Lúcia tem 75 anos e aluga quartos do seu apartamento pelo Airbnb

Laura Maia, O Estado de S.Paulo

19 Junho 2016 | 05h00

Dona Vera Lúcia tem 75 anos, mora sozinha em Copacabana, na zona sul do Rio, mas nos últimos meses já recebeu hóspedes dos quatro cantos do Brasil, da Argentina, do Peru e até do Japão no seu apartamento, por meio do Airbnb.

A ideia de se cadastrar há um ano na plataforma que conecta usuários de diferentes países para aluguel de temporada partiu de sua filha Ivana, que mora na Itália. E é de lá mesmo, que ela ajuda a mãe a gerenciar as reservas no site. “Não sei mexer direito na plataforma e no começo eu fiquei muito desconfiada em receber estranhos, mas hoje o meu problema é que me apego aos hóspedes”, brinca Vera Lúcia.

Ela conta que o dinheiro que consegue ao alugar dois dos três quartos do apartamento da família, complementa a pensão que recebe desde a morte do seu marido e a ajuda a pagar o condomínio e o plano de saúde. Em média, cada quarto é alugado por R$ 100 a diária, mas os preços variam de acordo com a demanda e a concorrência.

Vera Lúcia faz questão de dizer que apesar da idade, não tem “nada de paradona”, gosta de fazer ginástica de manhã, pintar nas horas vagas, escrever poesias e fazer palavras cruzadas. “Mas eu gosto mesmo é de conversar”, ressalta. E é aí que entram os hóspedes. Apesar de não falar outros idiomas, ela diz que sempre dá um jeito de se comunicar com eles para dar dicas sobre como se locomover e o que fazer na cidade. “Mas fico preocupada que nem mãe, quando eles demoram a chegar de noite. Às vezes me dá até taquicardia”, confessa.

Mas, o que ela gosta mesmo é de ter a casa movimentada e alguém para quem possa preparar um café.

Mais conteúdo sobre:
Airbnb Terceira Idade Tecnologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.