O que muda com o novo piso da TED hoje

O piso para a movimentação de recursos de um banco para outro por meio da Transferência Eletrônica Disponível (TED), criada com o novo Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB) em 22 de abril, encolhe para R$ 5 mil a partir de hoje. Valores iguais ou superiores a R$ 5 mil movimentados por empresas e pessoas físicas pela TED, para pagamentos, aplicações ou outras finalidades, serão creditados instantaneamente, em tempo real, na conta do destinatário. O limite anterior, em vigor até sexta, era R$ 50 mil. Meios de pagamento ou transferência tradicionais, como cheques e DOCs, poderão continuar sendo usados paralelamente ao novo sistema. A expectativa, contudo, é que a redução do valor exigido aumente a procura pela TED. Ademais, a partir do dia 7, quem emitir cheques ou usar DOC para fazer transferência ou depósito em valor superior a R$ 5 mil deverá pagar uma taxa extra pelo serviço. O custo dessa tarifa ainda não está definido e, segundo a Federação Brasileira das Associações de Bancos (Febraban), deve variar de banco para banco. A cobrança de tarifa adicional pelos bancos nesse caso seria uma forma de empurrar os clientes à TED. O motivo é que, se o cliente insistir em usar cheque ou DOC em operações com valor acima de R$ 5 mil a partir de 7 de agosto, os bancos terão de recolher ao Banco Central, sem nenhuma remuneração, um compulsório equivalente a 20% do valor de cada operação, como garantia. O sistema da TED é altamente seguro, garantido pelo BC, e vantajoso sobretudo para o destinatário, porque a operação é irreversível e concluída apenas se houver dinheiro suficiente na conta do emissor. Os bancos oferecem o serviço diretamente nas agências, pela internet e no sistema eletrônico de auto-atendimento. ChequeA chegada da TED mudou a rotina também dos demais correntistas. Alguns bancos, aproveitando a onda, deixaram de pagar cheques de contas com saldo bloqueado, mesmo em documentos com valor abaixo de R$ 5 mil. A iniciativa é dos próprios bancos, segundo a Febraban. De qualquer forma, o correntista deve prestar mais atenção e evitar a emissão de cheques contando com o dinheiro ainda aprisionado na conta. A menos que tenha um acordo com o gerente. FundosO novo piso da TED não deve afetar a movimentação dos fundos de investimento. As administradoras já fizeram os ajustes ao novo sistema. Mas o investidor deve procurar informar-se sobre o limite de horários para saque e aplicação, que foram mudados na maioria dos bancos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.