Ricardo Moraes/Reuters
Ricardo Moraes/Reuters

ESG

Coluna Fernanda Camargo: É necessário abrir mão do retorno para fazer investimentos de impacto?

Confira quais são os direitos dos passageiros da Latam Brasil

Companhia aérea pediu recuperação judicial (chapter 11) hoje nos Estados Unidos

Luciana Dyniewicz, O Estado de S.Paulo

09 de julho de 2020 | 19h26

O pedido de recuperação judicial (chapter 11) da Latam Brasil nos Estados Unidos não muda os direitos dos passageiros brasileiros. “Não significa que a empresa ganhe uma brecha ou alguma possibilidade de descumprir as regras do País”, diz o diretor de relações institucionais do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Igor Britto. 

Para consumidores que tiverem voos cancelados, por exemplo, a MP-925, que criou medidas para auxiliar as companhias aéreas durante a pandemia, continua valendo. “A MP, que tem regras ruins para os consumidores, influencia muito mais do que a recuperação judicial”, diz Britto.

No caso de um voo ser cancelado, por exemplo, a MP dá um prazo de um ano para as empresas aéreas devolverem o dinheiro da passagem. Abaixo, tire algumas dúvidas sobre seus direitos. Em caso de outros questionamentos, a Latam criou um site sobre o assunto (www.latamreorganizacao.com).

Meu voo será cancelado?

A empresa afirma que seguirá operando seus voos de passageiros e de carga. Em nota, diz ainda que todas as passagens já compradas e futuros bilhetes vão ser honrados. 

Quais meus direitos se o voo for cancelado?

Nesse caso, a regra é a determinada pela MP-925. A companhia poderá te reacomodar em outro voo, oferecer a possibilidade de remarcação dentro de um prazo de 18 meses ou devolver o dinheiro em até um ano a partir da data da viagem, o valor deve ser corrigido pela inflação.

Tenho milhas acumuladas. Vou perdê-las?

Segundo a Latam, não haverá nenhuma alteração quanto ao programa de milhagens, vouchers e benefícios da companhia. 

É seguro comprar passagens da empresa?

Para o diretor de relações institucionais do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Igor Britto, um dos riscos é que o voo seja cancelado, dado que a Latam -- assim como as outras companhias aéreas -- estão readequando suas malhas aéreas. Nesse caso, você terá até um ano para ter seu dinheiro de volta.  “A quantidade de voos cancelados é muito grande nesse momento, independente da recuperação judicial”, diz Britto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.