Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

'O que vocês estão fazendo aqui?', questiona Bolsonaro a jornalistas

O presidente demonstrou incômodo com a piada que ele mesmo fez ao escalar um humorista para responder perguntas sobre o resultado fraco do PIB de 2019 e perguntou por que os repórteres continuam indo ao Palácio da Alvorada

Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

05 de março de 2020 | 09h38
Atualizado 05 de março de 2020 | 12h11

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro questionou nesta quinta-feira, 5, por que jornalistas que fazem a cobertura diária no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, continuam indo ao local registrar suas declarações e fazer reportagens críticas.

O presidente demonstrou incômodo com a piada que ele mesmo fez ontem ao escalar um humorista para responder perguntas de repórteres sobre o resultado fraco do Produto Interno Bruto (PIB) em 2019, que registrou crescimento de 1,1% no ano

“Parabéns à imprensa. Fiz piada com o PIB. Parabéns aí, valeu. Continuem agindo assim. Quando vocês aprenderem a fazer jornalismo, eu converso com vocês”, disse o presidente nesta quinta, antes de embarcar para São Paulo, onde passará parte do dia. “Se vocês sofrem ataque todo dia, o que vocês estão fazendo aqui? O espaço é público, mas o que vocês estão fazendo aqui? O dia que vocês (se) conscientizarem que vocês são importantes fazendo matérias verdadeiras, o Brasil muda”, afirmou Bolsonaro. 

Desde o ano passado, o presidente passou a ter o hábito de parar na entrada da residência oficial para falar com apoiadores, que costumam se aglomerar no local. Em algumas ocasiões, também responde a questionamentos de jornalistas, que precisam ficar em uma área ao lado, cercada pela segurança. 

Bolsonaro já antecipou decisões signifcativas do governo ao parar para falar na entrada do Alvorada, como a demissão do ex-presidente do BNDES, Joaquim Levy, em junho. Também falou, em agosto, sobre a substituição do superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro, delegado Ricardo Saadi, antes da instituição se manifestar. Foi no mesmo local que Bolsonaro falou para um apoiador "esquecer o PSL", indicando que não queria mais permanecer na legenda. Hoje, o presidente atua para formalizar a criação do Aliança pelo Brasil

Bolsonaro também usou o espaço para lançar suspeitas sobre a participação de ONGs em queimadas na floresta amazônia, o que gerou crise internacional.


 

Humorista

Na quarta, o presidente enfrentou reações negativas sobre sua postura em relação ao resultado do PIB. "PIB? O que é PIB? Pergunta para eles (jornalistas) o que é PIB", disse Bolsonaro ao humorista Márvio Lúcio, conhecido como Carioca, que estava vestido como o presidente. Antes, o humorista distribuiu bananas aos jornalistas. Carioca usou um carro oficial da Presidência e contou com o auxílio do secretarial especial de comunicação, Fabio Wajngarten

Mais tarde, em outra conversa com jornalistas, Bolsonaro minimizou o resultado do PIB e disse que espera uma melhora este ano, apesar do coronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.