Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Obama corta US$ 17 bilhões de orçamento dos EUA

Medidas provocarão eliminação de 121 programas de governo, em áreas como educação e armamentos.

Bruno Garcez, BBC

07 de maio de 2009 | 14h18

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou nesta quinta-feira cortes de gastos orçamentários equivalentes a US$ 17 bilhões.

A medidas, referentes ao orçamento proposto por Obama para o ano fiscal de 2010, provocarão a eliminação de 121 programas de governo, que contemplam desde áreas como educação até armamentos.

De acordo com o líder americano, a decisão de cortar os programas se deve ao fato de que, em meio a uma crise histórica, ''não podemos continuar agindo como se déficits não importassem e dívidas não fossem o nosso problema''.

Apesar de salientar que a redução de US$ 17 bilhões é ''dinheiro de verdade, até para os padrões de Washington'', a cifra proposta por Obama pouco contribui para aplacar o déficit americano, que está próximo a US$ 1,75 trilhões, e nem reduz de forma significativa o orçamento de US$ 3,5 trilhões proposto para o ano fiscal de 2010.

Defesa

Entre os cortes apresentados nesta quinta-feira, metade integram o orçamento do Departamento de Defesa e já haviam sido anunciados no mês passado pelo secretário de Defesa, Robert Gates.

O corte de maior valor dentre os propostos é a interrupção da produção do jato F22, orçado em aproximadamente US$ 2,9 bilhões.

O presidente americano disse que seriam eliminados programas ''que podem ter feito sentido no passado, mas que não fazem mais sentido atualmente''.

Ele citou como exemplo o corte de um programa de navegação radiofônica de longo alcance que custa US$ 35 milhões anualmente, mas que se tornou obsoleto graças à tecnologia GPS.

Obama também classificou um programa de combate ao analfabetismo, orçado em US$ 6 milhões, como tendo desempenho ruim.

O governo pretende cortar ainda a quantia paga a diferentes Estados para que eles implementem iniciativas de detecção e eliminação de minas terrestres abandonadas, mesmo depois de estas já terem sido retiradas. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
estados unidosbancosbernanke

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.