Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Obama cria conselho para recuperação econômica

Em seu terceiro pronunciamento na semana, o presidente eleito dos EUA, Barack Obama, anunciou que o ex-presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) Paul Volcker irá chefiar o novo Conselho Consultivo para Recuperação Econômica, encarregado de ajudar o país a sair da recessão e de estabilizar os mercados financeiros. "Ele é direto e contundente", disse Obama a respeito de Volcker.Em uma entrevista coletiva à imprensa em Chicago, Obama também confirmou que seu conselheiro econômico Austan Goolsbee servirá no novo painel, assim como no Conselho de Consultores Econômicos. Outros membros deste conselho serão nomeados nas próximas semanas, disse o presidente eleito. Esta é o terceiro pronunciamento de Obama nesta semana - o presidente eleito tem procurado dar uma rápida resposta para assegurar aos combalidos mercados financeiros que sua administração enfrentará a recessão econômica com uma mistura de estímulos no curto prazo e disciplina fiscal no longo.O comportamento de Obama - mais de dois meses antes de tomar posse - contrasta com a recente discrição do presidente George W. Bush. Apesar de sua administração ter comprometido centenas de bilhões de dólares para estabilizar os mercados financeiros e recuperar o crédito ao consumidor, Bush não tem concedido muitas entrevistas coletivas desde julho. Ele falou a repórteres na segunda-feira sobre a decisão do governo de resgatar o Citigroup, mas não respondeu a perguntas. Hoje, enquanto Obama concedia entrevista em Chicago, Bush participava da cerimônia de perdão ao peru, prato principal do Dia de Ação de Graças, uma tradição presidencial que começou com Harry Truman, em 1947. As informações são da Dow Jones.

ANA CONCEIÇÃO, Agencia Estado

26 de novembro de 2008 | 14h43

Tudo o que sabemos sobre:
criseObamaPaul Volcker

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.