Obama decidiu em maio usar reserva de petróleo, diz fonte

O presidente dos EUA, Barack Obama, decidiu há mais de um mês, após uma reunião em 2 de maio, discutir seriamente a possibilidade de usar as reservas petrolíferas emergenciais do governo como forma de contrabalançar a redução da oferta causada pelos distúrbios na Líbia, disse uma fonte do governo na quinta-feira.

REUTERS

23 de junho de 2011 | 20h53

Mas Obama insistiu para que o plano só fosse colocado em prática após exaustivas discussões com a Arábia Saudita, o Kuait e com grandes nações consumidoras, segundo essa fonte.

Ela acrescentou que, no final de maio, as autoridades já haviam decidido esperar até uma reunião da Opep no começo de junho antes de confirmarem a decisão de usar as reservas governamentais.

Países industrializados consumidores de petróleo anunciaram nesta quinta-feira que vão liberar 60 milhões de barris de petróleo de estoques estratégicos governamentais em uma tentativa de reduzir os preços do petróleo bruto e escorar a economia global.

Os Estados Unidos vão colaborar com metade do volume, que virá de sua reserva gigantesca de 727 milhões de barris, correspondente ao consumo de um dia e meio no país.

A Europa irá colaborar com 30 por cento e o restante virá de Austrália, Japão, Coréia e Nova Zelândia.

(Reportagem de Roberta Rampton)

Tudo o que sabemos sobre:
PETROLEOOBAMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.