Obama deve anunciar nesta 6ª plano para vítimas da crise imobiliária

Casa Branca fala em financiamento para ajudar famílias em Estados mais duramente atingidos pela bolha

Danielle Chaves, da Agência Estado,

19 de fevereiro de 2010 | 10h27

O presidente dos EUA, Barack Obama, deverá apresentar nesta sexta-feira um pacote de medidas que pretende ajudar as pessoas que foram mais afetadas pela crise imobiliária. O anúncio deve ser feito durante visita ao Estado de Nevada, onde a crise foi particularmente severa. Obama deve anunciar a alocação de US$ 1,5 bilhão para ser gasto em coordenação com agências imobiliárias estatais.

 

Em um comunicado, a Casa Branca informou que Obama planeja anunciar em Las Vegas "financiamento para medidas inovadoras para ajudar famílias em Estados que foram mais duramente atingidos pela eclosão da bolha imobiliária". "Em cada um desses Estados, o preço médio para todos os proprietários de imóveis caiu mais de 20% no auge (da crise)", diz o comunicado.

 

A Casa Branca observou que, embora os preços dos imóveis tenham começado a se estabilizar, muitas pessoas ainda devem mais sobre suas hipotecas do que o valor do próprio imóvel - as chamadas hipotecas "submersas" (underwater). O montante de US$ 1,5 bilhão vai financiar programas que ajudarão essas pessoas, darão assistência a proprietários de imóveis desempregados, cuidarão do problema da segunda hipoteca e encorajarão "a propriedade de imóveis sustentável e possível", afirmou a Casa Branca.

 

O governo Obama já gastou centenas de bilhões de dólares na tentativa de estabilizar o mercado imobiliário e reduzir as execuções de hipotecas, que se multiplicaram em todo o país desde o auge da crise financeira, em setembro de 2008.

 

Nevada, Flórida e Califórnia, que já foram Estados com mercados imobiliários fortes, têm sido os mais atingidos pelo colapso do setor. Obama estará em Las Vegas hoje para discursar pelo segundo dia a candidatos democratas. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
Obama, plano, crise imobiliária

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.