Juros

E-Investidor: Esperado, novo corte da Selic deve acelerar troca da renda fixa por variável

Obama discute bônus com executivos, diz Casa Branca

Executivo do USB negou e disse que questão da compensação aos executivos não foi abordada

AE-Dow Jones,

27 de março de 2009 | 17h31

O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, disse aos jornalistas que o presidente Barack Obama, em sua reunião com os dirigentes dos principais bancos norte-americanos nesta tarde, discutiu uma série de questões, incluindo o plano do secretário do Tesouro, Timothy Geithner, de lidar com ativos tóxicos, a reforma no sistema regulatório dos EUA e a compensação dos executivos dos bancos.

 

Veja também:

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise  

 

O executivo-chefe do US Bancorp (USB), Richard Davis, disse, no entanto, ao deixar a Casa Branca que a questão da compensação aos executivos não foi abordada no encontro, apesar da revolta pública - e da retórica do governo - sobre os bônus pagos a executivos da seguradora American International Group (AIG). Davis afirmou que a proposta de taxar as empresas que aceitaram ajuda do governo não foi discutida.

 

O porta-voz da Casa Branca disse que o "presidente enfatizou que Wall Street precisa de Main Street e que ain Street precisa de Wall Street", fazendo referência ao mercado financeiro (Wall Street) e à economia real (Main Street). A reunião do presidente com os executivos de bancos foi uma "conversa franca, produtiva, boa" sobre a necessidade de se restaurar a estabilidade do sistema financeiro e ajudar a recuperação econômica, segundo a Casa Branca.

 

O encontro incluiu os executivos-chefes do JPMorgan Chase, Jamie Dimon; Bank of America, Ken Lewis; American Express, Ken Chenault; Freddie Mac, John Koskinen; State Street, Ronald Logue; BONY-Mellon, Robert Kelly; Northern Trust, Rick Waddell; PNC Financial Services, James Rohr; Goldman Sachs, Lloyd Blankfein; Morgan Stanley, John Mack; Citigroup, Vikram Pandit; Wells Fargo, John Stumpf; e USBancorp (USB), Richard Davis.

 

Crise

 

Os executivos manifestaram confiança em sua capacidade de trabalhar com a Casa Branca para superar a crise dos mercados financeiros. Ao saíram de um encontro com o presidente Barack Obama, os executivos-chefes dos bancos disseram que apoiam a proposta do governo para tirar os ativos tóxicos de seus balanços.

 

"Não conhecemos todos os detalhes, mas achamos que é um primeiro passo realmente encorajador", disse Robert Kelly, executivo-chefe do Bank of New York Mellon. "Precisamos ouvir os detalhes; acho que este plano atrairá muito interesse", acrescentou. O executivo-chefe da agência hipotecária Freddie Mac, John Koskinen, também afirmou que os bancos manifestaram apoio ao plano.

 

O executivo-chefe do Bank of America, Ken Lewis, ao ser perguntado se seu banco planeja retornar os recursos recebidos do governo como parte do Programa de Alívio de Ativos Problemáticos (Tarp, na sigla em inglês), disse que é prematuro adotar esta decisão porque os bancos ainda estão passando pelos testes de estresse do governo. As informações são da agência Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.