Obama irá ao Twitter para pressionar Congresso a estender cortes

Presidente dos EUA quer prorrogar benefícios fiscais da classe média que serão extintos no fim do ano 

Stefânia Akel e Álvaro Campos, da Agência Estado,

28 de novembro de 2012 | 14h30

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, vai pressionar o Congresso para estender cortes de impostos à classe média nesta quarta-feira, segundo uma autoridade da Casa Branca. O governo também vai recorrer ao microblog Twitter para ganhar apoio popular à proposta de Obama.

A atitude de Obama e o uso do Twitter pelo governo norte-americano fazem parte de uma estratégia para motivar o público a pressionar o Congresso ao lado do presidente, na discussão sobre a extensão dos cortes de impostos que serão anulados no fim do ano. Obama quer que o Congresso defina a continuação dos cortes somente para aqueles cuja renda é menor que US$ 250.000,00 ao ano, enquanto os republicanos querem que todos os cortes do governo Bush continuem.

Obama convidou alguns americanos da classe média à Casa Branca para uma discussão prevista para esta quarta-feira. Ele também vai se reunir com CEOs de grandes empresas como Merck & Co, Goldman Sachs e Comcast.

A Casa Branca afirmou que vai lançar a hashtag #My2k no Twitter para envolver as pessoas online, já que uma típica família de quatro pessoas da classe média teria um aumento de US$ 2.200,00 se o Congresso não agir.

Acordo

Obama disse ainda que está fazendo sua parte para chegar a um acordo com o Congresso para evitar o chamado "abismo fiscal" - uma série de cortes de gastos e aumentos de impostos que vai entrar em vigor no começo do ano que vem se não houver consenso para evitar tais medidas. Essas ações levariam a economia do país a entrar em recessão.

Segundo o presidente dos EUA, é preciso um acordo pronto antes do Natal, e que esse pacto precisa colocar o déficit orçamentário sob controle. "Nós só temos algumas semanas para chegar a um acordo. Eu estou pronto, disposto e sou capaz de resolver os assuntos fiscais. Estou animado para avançar e resolver esse assunto de uma maneira bipartidária", garantiu.

O presidente aproveitou a oportunidade para aumentar a pressão sobre os legisladores. Ele disse que a ampla maioria dos americanos apoia uma abordagem equilibrada para o acordo fiscal e pediu que os cidadãos liguem para seus representantes no Congresso para cobrar um pacto sobre as questões tributárias.

Obama voltou a afirmar que é contra a elevação dos impostos para a classe média e para as empresas. "Eu tenho uma caneta e estou pronto para promulgar uma lei que evite os aumentos de impostos para a classe média", disse. Esses aumentos acontecerão se não forem prorrogados cortes de impostos aprovados na administração de George W. Bush, previstos para expirar no fim deste ano.

O presidente quer deixar expirar apenas os cortes de impostos para os mais ricos, que representam cerca de 2% da população, mas isso enfrenta forte oposição dos republicanos. "Agora, enquanto nós falamos, o Congresso pode evitar os aumentos de impostos para 98% do país", disse ele.  As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
twittercongressoeuaimpostos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.