Obama pressiona Câmara a aprovar prorrogação de cortes de impostos

Cortes só não se aplicariam a famílias que ganham acima de US$ 250 mil por ano

Álvaro Campos, da Agência Estado,

26 de julho de 2012 | 17h01

WASHINGTON - Um dia após o Senado dos EUA aprovar um projeto que prorroga cortes de impostos para boa parte da população, mas não para as famílias que ganham acima de US$ 250 mil por ano, o presidente norte-americano, Barack Obama, pediu que a Câmara dos Representes faça o mesmo. Enquanto os democratas controlam o Senado, os republicam dominam a Câmara. 

"Ontem, o Senado votou para garantir que 98% dos norte-americanos não tenham um aumento de impostos no ano que vem. Para garantir que 97% das pequenas empresas não tenham um aumento de impostos no ano que vem. Era a coisa certa a se fazer", disse Obama durante uma reunião com seu gabinete de governo, incluindo a secretária de Estado, Hillary Clinton, o secretário de Defesa, Leon Panetta, e o secretário do Tesouro, Timothy Geithner.

O presidente disse que o pacote aprovado pelo Senado - que tem sido um assunto central na campanha presidencial - vai dar uma segurança necessária para os consumidores e pequenas empresas norte-americanos, em uma época na qual "a economia global está passando por uma série de problemas".

Obama afirmou que sua administração está focada em garantir que as pessoas que trabalham duro possam progredir. "Esse é uma desafio especial nesse momento, em que nós estamos sentindo parte da fragilidade da Europa. É a hora perfeita para nós focarmos em quais são os passos que podemos adotar agora, não depois, para fortalecer a classe média, colocar mais pessoas de volta no mercado de trabalho e dar uma maior certeza às empresas", disse. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.