coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

Obama prevê déficit de US$ 1,75 trilhão, o maior desde 1945

Presidente americano apresenta hoje sua proposta de orçamento ao Congresso, que inclui ajuda extra a bancos

CAREN BOHAN E JEFF MASON, REUTERS

26 de fevereiro de 2009 | 10h20

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, apresenta na quinta-feira uma proposta orçamentária que prevê um déficit público de 1,75 trilhão de dólares em 2009 e estabelece metas para a reforma da saúde pública e a recuperação da economia. Veja também:Obama inclui mais US$ 250 bi em orçamento para salvar bancosGoverno pedirá em orçamento US$ 200 bi para guerras dos EUAOrçamento inclui eliminação de subsídios a produtores agrícolasAs medidas do empregoDe olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise  O déficit previsto representaria 12,3% do PIB norte-americano e seria o maior desde a Segunda Guerra Mundial.  Duas fontes de alto escalão do governo disseram, sob anonimato, que os gastos previstos na proposta presidencial serão compensados por cortes em outras áreas. O anúncio oficial do orçamento de 2010 está marcado para as 13h (horário de Brasília). Os gastos do governo estão disparando por causa das medidas de estímulo econômico (na forma de obras públicas e benefícios fiscais) e do capital gasto na recuperação de instituições financeiras. Obama promete reduzir à metade em quatro anos o déficit público superior a US$ 1 trilhão que ele herdou do antecessor, George W. Bush. O orçamento para 2010 prevê cortes nos subsídios agrícolas e em outras áreas. A previsão é de uma redução gradual nos subsídios a agricultores que faturam mais de 500 mil dólares por ano (o que representaria uma economia de 9,8 bilhões de dólares em 10 anos) e a eliminação de subsídios para o armazenamento de algodão (economia de outros 570 milhões de dólares no mesmo período). Mas os gastos podem aumentar. O orçamento reserva US$ 250 bilhões para caso Obama peça mais dinheiro ao Congresso a fim de salvar o sistema financeiro. Autoridades dizem que tal decisão ainda não foi tomada.  A proposta inclui também um fundo de 10 anos, no valor de US$ 634 bilhões, para a reforma na saúde. Outra fonte disse que o orçamento incluiria centenas de bilhões de dólares com a arrecadação, a partir de 2012 e durante muitos anos, resultante de um sistema de créditos de carbono, uma das principais propostas do governo contra o aquecimento global. As autoridades devem divulgar as linhas gerais das 134 páginas do orçamento na quinta-feira. Uma versão mais detalhada estaria prevista para meados ou final de abril. O orçamento para o ano fiscal de 2010, que começa em 1o de outubro de 2009, precisa de aprovação do Congresso. O déficit de US$ 1,75 trilhão neste ano reflete um comportamento fiscal que remonta ao governo Bush e também gastos novos, previstos no pacote de estímulo econômico de US$ 787 bilhões, recentemente sancionado por Obama. 

Tudo o que sabemos sobre:
MACROEUAORCAMENTOANTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.