Obama promete criar ou salvar 600 mil empregos

Presidente diz que vai acelerar medidas previstas no plano de estímulo de US$ 787 bi para evitar que o desemprego provoque mais desemprego

, O Estadao de S.Paulo

09 de junho de 2009 | 00h00

Com o objetivo de salvar ou criar 600 mil postos de trabalho, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, prometeu ontem acelerar medidas previstas no plano de estímulo de US$ 787 bilhões, aprovado em fevereiro pelo Congresso americano. O anúncio ocorre após o Departamento do Trabalho ter divulgado na semana passada que a taxa de desemprego chegou a 9,4% em maio, a maior em 25 anos. O saldo negativo de empregos apurado no mês, de 345 mil, no entanto, mostrou que o ritmo das dispensas está menos agressivo no país.A intenção, segundo Obama, é evitar um ciclo vicioso em que o desemprego provoca mais desemprego. "A maior preocupação que tenho é que o impacto da perda de empregos sobre as famílias e as comunidades possa reforçar a si mesmo", disse Obama. "As pessoas perdem empregos, freiam os gastos, isso significa que as empresas não terão clientes e, de repente, começa a se ver mais demissões."Novos serviços em centros de saúde, parques nacionais, aeroportos, estradas e instalações médicas para veteranos de guerra serão impulsionados, segundo a Casa Branca. O governo Obama planeja também criar 125 mil postos de trabalho temporários durante os meses de verão para jovens e iniciar a construção de 200 centros de tratamentos de água e resíduos em áreas rurais, financiar a criação de 135 mil vagas na área de educação e outros 5 mil empregos .Até agora, disse o governo, o estímulo aprovado em fevereiro ajudou a criar ou salvar 150 mil empregos. Desde dezembro de 2007, quando os Estados Unidos entraram em recessão, o país perdeu seis milhões de postos de trabalho.NÍVEL DE VIDAObama prometeu que o gasto do estímulo vai se desenvolver "de forma transparente, para que os contribuintes saibam que o dinheiro não está sendo mal gasto em um esforço inútil."Segundo Obama, o principal sintoma da recuperação do país será visto não nas bolsas de valores, mas na melhora no nível de vida dos americanos. O "objetivo final" de sua gestão é conseguir que as famílias possam pagar as contas e as hipotecas e que os pequenos negócios possam voltar a crescer, disse Obama.Após encontro na Casa Branca com o vice-presidente Joe Biden e funcionários do gabinete para fazer um balanço dos avanços desde a aprovação do pacote de estímulo, Obama disse que os esforços do governo estão surtindo efeito na economia. "Temos um longo caminho a percorrer em nossa rota para a recuperação, mas estamos seguindo pelo caminho correto", afirmou."Fizemos mais do que nunca, mais rápido do que nunca, de forma mais responsável do que nunca para colocar as engrenagens da economia em movimento novamente", disse Obama.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.