Obama quer acordo bipartidário para evitar abismo fiscal

O presidente dos EUA, Barack Obama, tem esperanças de seja fechado um acordo bipartidário para evitar o chamado abismo fiscal e vai trabalhar para isso com o Congresso, destacou a Casa Branca, em um comunicado logo após a votação do chamado "Plano B" dos republicanos ser adiada para depois do Natal por falta de apoio do próprio partido.

ALTAMIRO SILVA JÚNIOR, CORRESPONDENTE, Agencia Estado

21 de dezembro de 2012 | 00h57

Obama diz que a prioridade dos democratas é evitar que os impostos subam para 98% dos americanos a partir de janeiro de 2013. No comunicado, o presidente afirma que vai trabalhar com o Congresso para conseguir um acordo e que um consenso sobre o Orçamento norte-americano precisa ser alcançado rapidamente. A nota foi lida pelo porta-voz da Casa Branca, Jay Carney.

O chamado "Plano B" dos republicanos prevê que o imposto de renda só vai subir em 2013 para os americanos que ganham mais de US$ 1 milhão por ano. Obama defende impostos maiores para quem tem renda a partir de US$ 400 mil por ano.

A votação do "Plano B" seria feita na noite desta quinta-feira, mas foi cancelada e adiada para depois do Natal por falta de apoio dos próprios congressistas republicanos.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAObamaabismo fiscal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.