Obama quer esforço coordenado do G-20 ante a crise

Ele pressiona os legisladores a desenvolver um plano para reformar a estrutura regulatória do sistema financeiro

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

11 de março de 2009 | 13h46

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou durante uma entrevista coletiva que o governo americano vai buscar uma ação coordenada entre os países do G-20 para ressuscitar o crescimento da economia mundial e para elaborar uma nova estrutura regulatória financeira. Veja também:  Queda do PIB no quarto trimestre é a maior desde 1996  Educação acelera IPCA, mas preços devem ceder, diz IBGE  De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise Segundo ele, os EUA terão dois objetivos durante a cúpula do G-20, agendada para 2 de abril em Londres. "O primeiro é garantir que haja um esforço coordenado em todo o mundo para estimular a economia", disse Obama. "O segundo objetivo é assegurar que estamos avançando com as propostas de uma reforma regulatória para evitar estes riscos sistêmicos e o potencial de uma nova crise como esta no futuro."Obama sugeriu que a reforma regulatória possuirá uma abrangência internacional. "Isto não é uma coisa que pretendemos realizar apenas domesticamente, precisamos nos certificar de que estamos coordenados com os demais países do G-20".O presidente norte-americano está pressionando os legisladores a desenvolver um plano para reformar a estrutura regulatória do sistema financeiro. No entanto, ainda não foi esclarecido se Obama levará propostas específicas para a reunião dos lideres do G-20 em Londres nem se a abordagem da Casa Branca corresponderá às expectativas dos europeus.No próximo fim de semana, o secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner, e outras autoridades dos países do G-20 farão uma reunião com o objetivo de debater os temas que serão levados à cúpula. Segundo Obama, "este vai ser um encontro crítico em um momento obviamente crítico para a economia mundial".Ele disse que Geithner discutirá a relevância do comércio mundial e a necessidade de manter os países em desenvolvimento suficientemente estáveis para comprar produtos norte-americanos. Geithner também abordará a importância de "não cair em padrões protecionistas", afirmou Obama. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
G-20criseEUACrise nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.