Obama quer reunião com Boehner e Pelosi no sábado

O presidente dos EUA, Barack Obama, disse durante um pronunciamento que o deputado republicano John Boehner, que preside a Câmara dos Representantes, abandonou as negociações sobre um projeto de lei para reduzir o déficit orçamentário e aumentar o teto da dívida norte-americana. "Agora ficamos sem tempo", disse Obama.

GUSTAVO NICOLETTA, Agencia Estado

22 de julho de 2011 | 20h32

Ele acrescentou que ofereceu a Boehner US$ 1 trilhão em cortes de gastos nos setores doméstico e de defesa e US$ 650 bilhões em cortes em programas sociais, de previdência e de saúde - como o Medicare e o Medicaid. "Acreditamos que era possível fazer isso de uma forma que mantivesse a integridade do sistema", disse o presidente dos EUA. "Em outras palavras, era um acordo extraordinariamente justo."

Obama pediu que Boehner e a deputada Nancy Pelosi, que lidera a minoria democrata na Câmara dos Representantes, compareçam amanhã à Casa Branca, às 12h (de Brasília), para negociar sobre o aumento no teto da dívida.

Boehner, em carta a seus colegas de partido, disse que desistiu de negociar "não por causa das nossas personalidades (referindo-se a Obama), mas por causa das diferentes visões sobre nosso país". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
OrçamentodívidaCongressoObamaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.