Evaristo Sá/AFP
Evaristo Sá/AFP

Objetivo de ida de Temer à China é atrair investimentos, diz porta-voz

Presidente embarca amanhã para o país para participar da 9ª Cúpula do Brics

Carla Araújo e Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

28 Agosto 2017 | 14h01

BRASÍLIA - O porta-voz do presidente Michel Temer, Alexandre Parola, destacou nesta segunda-feira os objetivos da viagem presidencial à China e afirmou que Temer mostrará que o Brasil é um destino seguro para investidores.

"Brasil e China mantêm parceria estratégica global. São duas grandes economias fortemente interligadas. O Brasil é destino seguro para investimentos chineses e importante provedor de alimentos e insumos para a China, nosso principal parceiro comercial", disse. "Os dois países mantêm igualmente tradicional cooperação em ciência, tecnologia e inovação. Essa dinâmica virtuosa cria interesses comuns e traz benefícios concretos para brasileiros e chineses", acrescentou. 

Parola informou que Temer embarca amanhã para o país e, no dia 1º de setembro, realiza uma visita de Estado a Pequim a convite do presidente Xi Jinping. Entre os dias 3 e 5, Temer participará na cidade de Xiamen da 9ª Cúpula do Brics, grupo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. O presidente embarca de volta ao Brasil no dia 5 de setembro.

O porta-voz disse ainda que, além do presidente chinês, Temer se reunirá em Pequim com o primeiro-ministro Li Keqiang. "Como resultado dos encontros em Pequim, está prevista a assinatura de atos bilaterais em áreas como infraestrutura, saúde, cultura e tecnologia. Uma vez mais, o presidente Temer colocará a diplomacia presidencial a serviço do desenvolvimento e da geração de empregos no Brasil", disse Parola.

Infraestrutura. Depois de anunciar na semana passada um programa de concessões e privatizações que será também levado aos chineses, Parola disse que, na "vertente econômico-comercial, um dos objetivos da visita será promover a crescente diversificação qualitativa de nossa pauta exportadora para a China e atrair novos investimentos, sobretudo em infraestrutura". 

"A visita de Estado permitirá ainda o intercâmbio de visões sobre as principais questões da agenda internacional. Brasil e China compartilham prioridades sobre temas como a defesa do multilateralismo, a resistência ao protecionismo e o combate ao aquecimento global", destacou o porta-voz. 

Agenda. No dia 2 de setembro, concluída a programação da visita de Estado, o presidente Michel Temer participará do Seminário Empresarial Brasil-China. O evento está sendo organizado pela Apex-Brasil e reunirá líderes empresariais chineses que já investem ou têm interesse em investir no Brasil. "A retomada do crescimento econômico, o aprimoramento de nosso ambiente de negócios e o programa de reformas estruturantes em curso abrem múltiplas oportunidades para novos investimentos chineses no País", disse Parola. 

No dia 3, Temer embarca para a cidade de Xiamen, onde representará o Brasil na 9ª Cúpula do Brics. "O presidente Temer identifica no Brics um espaço privilegiado de cooperação econômica, em particular em matéria financeira. Nessa perspectiva, o Brasil renovará seu engajamento nas atividades do Novo Banco de Desenvolvimento", destacou. 

"No contexto do Brics, o presidente manterá interlocução com representantes dos setores privados do Brasil e de outros membros do grupo. Também aqui, o propósito é fomentar o comércio exterior brasileiro e atrair mais investimentos externos para o País", completou o porta-voz.

Mais conteúdo sobre:
Pequim [China] China [Ásia] Michel Temer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.