Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Objetivo dos sindicatos é manter conquistas de 2010

Algumas das categorias de trabalhadores mais organizadas, como bancários, metalúrgicos e petroleiros, têm data-base no terceiro trimestre, justamente quando a inflação acumulada em 12 meses poderá até superar o teto da meta, de 6,5%.

Anne Warth e Wladimir D?Andrade, O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2011 | 00h00

Apesar disso, para este ano, o objetivo é pelo menos manter os ganhos reais obtidos em 2010. No ano passado, os bancários tiveram reajuste de 7,5%, com aumento real de 3,08%. Os metalúrgicos do ABC conseguiram 10,8%, com ganho real de 6,26%. Os petroleiros, além da reposição da inflação oficial, conquistaram reajustes entre 2,5% e 3,6%.

Os representantes dessas categorias, porém, argumentam que, se o cenário macroeconômico não é tão favorável como no ano passado, os setores, por outro lado, continuam em boa fase.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Sérgio Nobre, afirma que os ganhos de produtividade das montadoras permanecem elevados. "Embora o governo tenha adotado medidas para restringir o crédito, nada impede que as negociações deste ano sejam melhores que as do ano passado."

A avaliação é compartilhada pelos representantes de bancários e petroleiros. Segundo o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), Carlos Cordeiro, não há motivos para a categoria ter um reajuste menor este ano. "Os lucros dos bancos continuam batendo recordes."

Já o coordenador da Federação Única dos Petroleiros (FUP), João Antônio de Moraes, diz que o setor de petróleo e gás está em plena expansão e tem alta lucratividade. "A Petrobrás teve o maior lucro de sua história", diz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.