Obras caem 11,9% nos EUA em março, no pior nível em 17 anos

Previsão de queda era 6,1%; índice de preços ao consumidor (CPI) acelera e fica em 0,3% no mês

CYNTHIA DECLOEDT, Agencia Estado

16 de abril de 2008 | 09h42

Segundo o departamento de comércio, o número de obras de imóveis residenciais iniciadas em março caiu 11,9%, em base sazonalmente ajustada, para a taxa anual de 947 mil, a mais baixa em 17 anos - desde o 921 mil em março de 1991. Em fevereiro, as obras caíram 0,7%, informou o Departamento do Comércio nesta quarta-feira, 16. O dado de janeiro foi revisado, do 0,6% estimado originalmente. Já o índice de preços ao consumidor (CPI), anunciado nesta quarta pelo Departamento de Trabalho, subiu 0,3% em março e o núcleo avançou 0,2%, ambos em linha com a previsão dos economistas.  Veja também: Economia global vive situação entre 'gelo e fogo', diz FMI Cronologia da crise financeira  Entenda a crise nos Estados Unidos O sobe e desce do dólar Veja os efeitos da desvalorização do dólar  Sem ajuste, o CPI subiu 0,343% em março e o núcleo avançou 0,152%. Em comparação a março do ano passado, o CPI subiu 4% e o núcleo cresceu 2,4%. Os dados foram  dos EUA. O Departamento do Trabalho também informou que a média semanal de ganho dos trabalhadores norte-americanos, ajustada à inflação, subiu 0,2% em março. A média de ganho por hora avançou 0,3% e a média de horas trabalhadas na semana aumentou 0,3%.  Economistas ouvidos pela Dow Jones previam que o número de obras de imóveis residenciais iniciadas caísse 6,1% para 1 milhão em março. O relatório indica que o mercado de moradia continuará declinando. A permissão para novas construções também caiu 5,8% para 927 mil (taxa anual) em março. Em fevereiro, as permissão haviam caído 7,3% a 984 mil. O número de obras iniciadas em março ficou 36,5% abaixo do nível de março de 2007.  Energia Os preços no segmento de energia subiram 1,9% em março em comparação a fevereiro e estão 17% acima do mesmo mês do ano passado. Os preços da gasolina avançaram 1,3% e os preços da eletricidade subiram 0,8%. Os preços dos alimentos avançaram 0,2% em março em comparação a fevereiro e 4,5% em relação a março do ano passado. Os preços no segmento relacionado à moradia, que responde por 40% do CPI, subiram 0,4% em março. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
CPIEUAcrise dos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.