Obras iniciadas de moradias recuam 4,3% nos EUA

A construção de residências nos EUA caiu para o menor nível em mais de um ano em dezembro de 2010, em mais um sinal desanimador sobre o mercado imobiliário do país. As obras de moradias iniciadas diminuíram 4,3%, para a taxa anual sazonalmente ajustada de 529 mil, em comparação com o dado revisado de novembro de 553 mil, informou hoje o Departamento de Comércio.

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

19 de janeiro de 2011 | 12h05

Economistas esperavam que as obras iniciadas caíssem 0,2% em dezembro, para 554 mil, em comparação com o dado original de novembro (555 mil). Em comparação com dezembro de 2009, as obras iniciadas caíram 8,2%. As permissões para obras, no entanto, subiram 16,7%, para a taxa anual de 635 mil. Esse dado é bastante observado porque dá indicações sobre a tendência futura do mercado.

Os resultados foram guiados por uma queda de 9,0% na construção de moradias destinadas a uma família, para 417 mil. A construção de habitações com cinco ou mais unidades, que é uma fatia volátil do mercado, aumentou 25,9% em dezembro. Em novembro, a construção de casas para uma família, que representam mais de 80% das obras, teve aumento de 5,8%, em dado revisado.

Os números de novembro foram revisados para mostrar alta de 3,8% nas obras iniciadas em comparação com outubro, ante o avanço de 3,9% calculado anteriormente. Por regiões, as obras iniciadas caíram 24,7% no Nordeste em novembro, 38,4% no Meio Oeste e 2,2% no Sul. No Oeste, houve alta de 45,8%. As obras iniciadas reais - ou seja, sem ajustes sazonais - caíram para 34.300 em dezembro, ante 40.800 em novembro. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
moradiasresidênciasobrasEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.