André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Paulo Caffarelli será o novo presidente do Banco do Brasil; Occhi confirmado na Caixa

Caffarelli já foi vice-presidente do banco e número dois do Ministério da Fazenda; recentemente atuava como diretor executivo corporativo da CSN

O Estado de S.Paulo

25 de maio de 2016 | 18h31

BRASÍLIA - O economista Paulo Caffarelli será o novo presidente do Banco do Brasil escolhido pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. A informação foi confirmada pelo Ministério juntamente com o nome de Gilberto Occhi para o comando da Caixa. Caffarelli substituirá Alexandre Abreu e Occhi, Miriam Belchior, que foi exonerada da presidência da Caixa na edição de hoje do Diário Oficial da União.

Caffarelli já foi vice-presidente do banco e número dois do Ministério da Fazenda. Mais recentemente atuava como diretor executivo corporativo da CSN.

No ministério, Caffarelli conseguiu que companhia elétricas e bancos entrassem em acordo na renegociação das dívidas do setor. Desde então, o ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, já defendia o nome dele para a presidência do BB quando houve a troca do comando no início do segundo mandato da presidente afastada Dilma Rousseff. 

Em entrevista exclusiva ao Estado, o ministro chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, frisou que o governo do presidente em exercício Michel Temer assumiu este compromisso com o PP e irá cumprir. 

"Para a Caixa está definido: é o Gilberto Occhi. O pacto que foi feito com o PP será honrado", declarou Padilha. "(O governo) assumiu compromisso, tem de cumprir", afirmou, comentando que a nomeação já tinha de "ter sido lá atrás", ressaltando a pressão que está sendo feita pelo PP.

Occhi é certo na Caixa, isso não tem discussão", garantiu, lembrando que, apesar da indicação política, o futuro presidente da instituição é funcionário da Caixa. "Hoje, no sistema financeiro, para indicação partidária só funcionário de carreira e o Occhi está dentro do padrão". /Tânia Monteiro, Vera Rosa, Erich Decat, Murilo Rodrigues Alves

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.