Ueslei Marcelino/Reuters
Ueslei Marcelino/Reuters

OCDE adia de novo decisão sobre adesão do Brasil

Conselho da entidade reuniu-se no domingo, mas não deliberou quais países terão prioridade para ingressar no grupo

Andrei Netto, O Estado de S.Paulo

25 Setembro 2017 | 19h46

PARIS - O Conselho da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) adiou mais uma vez nessa segunda-feira, 25, a definição sobre quando abrirá o processo de adesão do Brasil e de outros cinco países candidatos. 

A reunião realizada no domingo, 24, supostamente traria uma decisão sobre quais países, dentre Brasil, Argentina, Perú, Croácia, Romênia e Bulgária, serão considerados prioritários para a entidade e terão seu processo de adesão aberto em breve. O tema vem sendo discutido pelos representantes nacionais encarregados de elaborar um "mapa do caminho" para o processo de ampliação da OCDE. O documento molda as condições, modalidades, processos e prazos para a análise das candidaturas.

Em 8 de setembro, quando da última reunião do conselho da entidade, a reportagem do Estado apurou que o Brasil conta com o apoio do secretário-geral da OCDE, Angel Gurría, mas ainda enfrenta resistências de países-membros como os Estados Unidos, que não desejam uma ampliação grande demais do grupo.

++ Adesão do Brasil à OCDE pode demorar

A candidatura brasileira, oficializada pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, estaria atrás da Argentinas no ranking de prioridades, porque o país seria "mais consensual", nas palavras de uma alta fonte ouvida pelo Estado na organização.

A próxima reunião do conselho deve acontecer em duas semanas, mais uma vez sem garantia de que a decisão sobre as candidaturas seja tomada.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.