OCDE alerta para contágio da crise europeia

A economia global sofre alto potencial de contágio com a crise da zona do euro. A advertência foi feita ontem, em Paris, pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), na divulgação do relatório Perspectivas Econômicas.

PARIS , O Estado de S.Paulo

29 de novembro de 2011 | 03h05

Os alertas foram o centro dos pronunciamentos dos experts da entidade, que reúne 34 dos países mais industrializados. No relatório, todas as previsões de crescimento foram revistas para baixo. Entre os países-membros, grupo que inclui Estados Unidos, Japão e a zona do euro, a estimativa de aumento médio do PIB é de 1,9% em 2011, 1,6% em 2012 e 2,3% no ano seguinte.

Nos EUA, o ritmo é semelhante: 1,7%, 2% e 2,5% entre este ano e 2013. No Japão, apesar do terremoto e do tsunami, que destruíram parte do país, e da dívida de cerca de 250% do PIB, haverá contração de 0,3% em 2011, seguida de expansão de 2% em 2012 e de 1,6% em 2013.

Mas o grande foco de preocupação da OCDE é a zona do euro. Os prognósticos apontam crescimento de 1,6% em 2011, estagnação(0,2%) em 2012 e reaceleração só em 2013, quando a expansão deve chegar a 1,4%. / A.N.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.