Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

OCDE: cenário externo já não é tão favorável ao País

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) já adverte que o Brasil não poderá mais desfrutar da carona que conseguiu pegar um cenário internacional favorável para crescer, como ocorreu nos últimos quatro anos. "O Brasil precisa estar sempre alerta. Agora será mais complicado", afirmou Angel Gurria, secretário-geral da entidade, conhecida como o clube dos países ricos. O Banco Mundial também alertou ontem que uma recessão nos Estados Unidos teria um impacto negativo para os países emergentes. Para a OCDE, se nos últimos anos o crescimento internacional foi um fator que contribuiu para a estabilidade da economia brasileira, o País terá agora de se acostumar a um contexto de maiores incertezas. "Quanto maior a participação do Brasil na economia internacional e maiores as exportações, maior relevância terá o cenário internacional para o destino do País", disse Gurria.O que inquieta os xerifes das organizações internacionais é de que está cada vez mais difícil identificar o motivo das turbulências nos mercados. "Estamos passando por um momento difícil de prever, de explicar as razões pelas quais os comportamentos ocorrem, as variáveis macroeconômicas. Não sabemos o impacto ainda de muitas coisas. Não vemos o risco final". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.