OCDE mostra que importações crescem pouco

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) destacou em relatório o baixo ritmo de crescimento das importações do Brasil. O superávit do País está entre os maiores saldos comerciais dos 35 países pesquisados pela OCDE no Factbook 2008, divulgado ontem. Com superávit de US$ 46,1 bilhões em 2006, o Brasil ocupa a 7ª posição do ranking. A lista é liderada pela Alemanha, com superávit de US$ 206,8 bilhões. Os EUA são os últimos, com déficit de US$ 882 bilhões.Segundo os dados, o ritmo de crescimento da importação brasileira foi de 0,61% de 1996 a 2006. Entre os Brics (Brasil, Rússia, Índia e China), a China continuou a ter o maior ritmo de importações (2,38%) e é também a primeira no ranking das exportações, com 2,93% de alta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.