OCDE vê forte queda no fluxo de investimento em 2008

Segundo a Organização, desacelaração de fusões e aquisições entre fronteiras vai diminuir fluxo

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

24 de junho de 2008 | 12h05

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) espera que o fluxo global de investimento estrangeiro direto caia fortemente este ano, uma vez que a atividade de fusões e aquisições entre fronteiras está desacelerando. Os investimentos externos feitos por empresas na área da OCDE podem cair em 37%, ou US$ 680 bilhões, enquanto os investimentos em empresas na área da OCDE poderão diminuir 24%, ou US$ 335 bilhões. "Enquanto 2007 foi um ano recorde tanto para o fluxo de entrada quanto de saída na OCDE, fortes declínios são esperados em 2008", disse a organização em relatório. A OCDE informou que as empresas em seus 30 países-membros fizeram investimentos externos de US$ 1,82 trilhão em 2007, aumento de 50% ante 2006 e nível recorde. No mesmo ano, cerca de US$ 1,37 trilhão em investimentos foram feitos nas empresas sediadas na área da OCDE, alta de 31% sobre 2006. Segundo a OCDE, a atividade de fusões e aquisições foi atingida pela menor disponibilidade de financiamento para aquisições, desde que a crise de crédito começou em meados de 2007.

Tudo o que sabemos sobre:
InvestimentosOCDE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.