finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

OceanAir atenderá passagens vendidas da BRA

Trata-se de "um acordo emergencial". Ainda há negociações sobre aeronaves

Beth Moreira, da Agência Estado,

12 de novembro de 2007 | 16h41

A OceanAir fechou um acordo com a BRA e vai atender os 70 mil passageiros que já compraram bilhetes da empresa, dos quais 43 mil passageiros de vôos regulares e 27 mil compradores de pacotes da agência PNX Travel. A informação foi dada na tarde desta segunda-feira, 12, pelo presidente da OceanAir, German Efromovich. O executivo esclareceu que não se trata de uma aquisição, mas de "um acordo emergencial para atender esses passageiros". E disse ainda que a OceanAir quer expandir sua malha para todas as rotas domésticas e internacionais em que a BRA atuava.  Segundo ele, o atendimento prestado aos passageiros da BRA no final de semana resultou de um pedido da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para atender passageiros e minimizar o impacto das suspensões das operações da companhia aérea. Efromovich não deu detalhes em relação às garantias de pagamentos a BRA pelas operações que a OceanAir está realizando para atender a sua demanda. No final de semana foram atendidos 6.182 passageiros, com a realização de 121 trechos com duas aeronaves da própria BRA (737-200) e duas (767-300 e MK28) da OceanAir.  Segundo o executivo, o atendimento imediato de passageiros da BRA depende da disponibilidade de assentos em seus aviões e que a empresa não colocará vôos extras para atender essa demanda. No caso das viagens internacionais, Efromovich esclarece que aguarda a chegada de novos aviões que serão incorporados à frota da OceanAir para começar a atender os passageiros que compraram bilhetes com destino às três rotas que a BRA fazia no Exterior, entre elas Lisboa, Madri e Roma. Negociações O presidente da OceanAir informou ainda que está negociando com lessores (empresas arrendatárias) para assumir aeronaves da BRA, entre elas seis ou sete modelos 737 e um modelo 767. O executivo afirmou ainda que já viabilizou a transferência para a OceanAir de dois Boeings 767-300 que ainda não estavam sendo operados pela BRA. Efromovich, preferiu, porém, não revelar os custos da transferência. O executivo afirmou ainda que a empresa está em "plena fase de expansão" e que deverá contratar entre 400 e 500 funcionários para atender as novas rotas que pretende implantar. "Estamos admitindo tripulantes e podemos dar preferência aos profissionais da BRA", informou. Efromovitch disse também que a companhia não discute, no momento, o contrato que a BRA tem com a Embraer para a compra de 20 jatos modelo 195 e mais 20 opções do mesmo modelo. O executivo afirmou, no entanto, que o grupo Synergy, que controla a OceanAir e a Avianca, está em fase de planejamento da troca de todas as aeronaves de 100 assentos. Atualmente o grupo possui 29 aeronaves modelos MK28, das quais 13 voam no Brasil e 16 na Colômbia. "Minha opinião é de que a Embraer tem um bom produto", limitou-se a dizer. O executivo ressaltou ainda que o grupo acaba de fazer uma compra de aproximadamente US$ 5 bilhões para a compra de 90 novas aeronaves que começam a ser entregues a partir de 2008, até 2012. Atualmente a OceanAir tem 1,4 mil funcionários, 30 aeronaves e voa para 37 destinos domésticos e um internacional. Os planos da empresa são de iniciar novas operações em 2008 para novas rotas na América Latina, entre elas a cidade de Buenos Aires, na Argentina.  

Tudo o que sabemos sobre:
OceanAirBRA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.