OceanAir tem interesse em rotas internacionais da Varig

A OceanAir manifestou interesse em operar todas as linhas internacionais que a Varig possui autorização para voar, mas não está utilizando. "Temos interesse maior em algumas delas, mas prefiro não revelar", declarou o presidente da companhia, Carlos Ebner, nesta sexta-feira, dia 30.Ele questionou a intenção da Gol de solicitar à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) a prorrogação do prazo para que a Varig volte a operar essas rotas, que vence em 14 de junho. Pelas regras do setor, quando há outra empresa interessada nas mesmas rotas, a Anac não deve estender o prazo à empresa que possui as rotas e não está utilizando. "Se as regras da Anac funcionarem, a agência não deverá prorrogar os prazos", afirmou.O questionamento da OceanAir vem após as declarações do presidente da Gol, Constantino Oliveira Júnior, de que pretende negociar com empresas de leasing para o arrendamento de aeronaves para a Varig, de modo a reiniciar as operações no mercado internacional. Em função disso, ele disse na quinta-feira, dia 29, que pediria um prazo maior para a Anac. A estimativa do executivo é que a empresa consiga retomar todas as operações internacionais em um prazo de 12 meses.Entre as rotas que a Varig não está operando estão Nova York, Miami, Milão, Londres, Paris e Santiago do Chile. Se a Anac não conceder a prorrogação de prazo, a empresa perderá o direito a essas concessões.ImpactoO executivo da OceanAir disse ainda que a estratégia de crescimento da empresa não mudará por causa da compra da Varig pela Gol. A empresa mantém a meta de alcançar 10% do mercado nacional até 2010. "Já existia um duopólio antes da compra da Varig, o que é prejudicial ao mercado", lembrou. "O que nos preocupa hoje não é a compra da Varig, mas os problemas de infra-estrutura do setor."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.