Odebrecht: contrato é produto de exigências do Equador

A Construtora Norberto Odebrecht afirmou hoje, em nota, que, no contrato firmado em 24 de setembro com governo do Equador, a empresa não entregou uma proposta, e sim aceitou todas as exigências do Estado equatoriano. O comunicado dá uma versão diferente da publicada por agências internacionais de notícias sobre sua disputa com o governo do país vizinho. Segundo parte da imprensa, a empresa havia entregado as propostas. A empresa brasileira alega que seu objetivo, ao aceitar essas exigências, foi preservar seus bens e "principalmente garantir a integridade" de seus funcionários. A Odebrecht também afirma que a central hidrelétrica de São Francisco foi construída "dentro da melhor técnica disponível", o que contraria acusações do governo do Equador de que a o obra é de má qualidade. A construtora informou que ainda não foi notificada sobre qualquer decisão do governo equatoriano de expulsão. Ontem, autoridades equatorianas anunciaram que a empresa não poderia mais atuar no país.

AE, Agencia Estado

09 Outubro 2008 | 21h18

Mais conteúdo sobre:
Equador Odebrecht expulsão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.