Odebrecht deve demitir em São Paulo e Bahia

Até o final do mês, o Grupo Odebrecht deverá inciar o processo de demissão de 10% dos trabalhadores das empresas petroquímicas controladas. Os cortes deverão ocorrer nas áreas operacional e administrativa em São Paulo e na Bahia, informa uma fonte ligada aos trabalhadores do setor.As demissões visam ao enxugamento do quadro de funcionários, para a formação da futura Braskem. A nova empresa agregará seis indústrias petroquímicas, com cerca de 2.600 funcionários, o que provocará a sobreposição de cargos em várias funções, principalmente administrativas.O total da redução de custos com a formação da Braskem é projetado em R$ 300 milhões por ano. Porém, segundo fontes do GRupo Odebrecht, o corte de pessoal representará pequena parcela no enxugamento do orçamento. O valor não foi revelado.Em São Paulo, o Odebrecht detém o controle da Trikem, produtora de cloro e soda cáustica, além dos escritórios administrativos desta empresa e da OPP Química. Na Bahia, a empresa e o Grupo Mariani possuem o controle da Companhia Petroquímica do Nordeste (Copene), que já incorporou a Proppet. No pólo baiano há também uma fábrica da Trikem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.