Odebrecht mantém conversas sobre participação em Belo Monte

Presidente do grupo Odebrecht não revela se participação seria como investidor ou construtor da usina

Ana Conceição, da Agência Estado,

29 de abril de 2010 | 15h10

O Grupo Odebrecht tem interesse em participar do empreendimento da hidrelétrica de Belo Monte, embora tenha sido derrotado no leilão de concessão da usina, segundo o presidente do conglomerado, Marcelo Odebrecht. O executivo disse que mantém conversas com o consórcio vencedor, o Norte Energia. "Conversas ocorrem em todos os momentos. Elas nunca pararam", afirmou. Odebrecht não quis revelar se essa participação seria como investidor ou construtor da usina.

 

"O que pudermos fazer para ajudar se for do interesse do consórcio vencedor, e se atender às nossas premissas econômicas, óbvio que vamos fazer", afirmou. Odebrecht disse que caberá ao consórcio definir o tipo de participação que a companhia poderá ter no empreendimento. O consórcio vencedor do leilão da usina de Belo Monte foi o Norte Energia, liderado por Bertin e Queiroz Galvão. O outro consórcio participante era o Belo Monte Energia, liderado por Andrade Gutierrez. O consórcio liderado por Odebrecht e Camargo Corrêa desistiu e não participou do leilão.

 

Outras companhias perdedoras do leilão, na avaliação do empresário, estarão interessadas em participar do empreendimento. "Todas as empresas que trabalharam vinte anos por Belo Monte farão o que puderem pelo projeto", afirmou.

 

Em conversa após palestra no 12º Seminário Perspectivas da Economia Brasileira, realizado hoje em São Paulo pela Tendências Consultoria, Odebrecht defendeu que o País não pode prescindir do potencial de energia da Amazônia. Para ele, a geração alternativa de energia, como por exemplo a eólica e a biomassa, seriam insuficientes para substituir o potencial hidrelétrico de Belo Monte.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.