Odebrecht tira Victor Gradin do conselho

A disputa entre as famílias Odebrecht e Gradin em torno de uma participação de 20,6% no Grupo Odebrecht acabou atingindo a "velha guarda" das famílias. O patriarca Victor Gradin, que entrou no grupo no início da década de 70 pelas mãos do próprio fundador, Norberto Odebrecht, foi destituído ontem do cargo de conselheiro da holding Odebrecht S/A.

, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2011 | 00h00

Em nota, a Odebrecht informou que, "com a iniciativa da família Gradin de tentar impedir, através de medidas judiciais, o exercício de opção de compra de suas ações da Odebrecht Investimentos, nas condições estabelecidas pelo Acordo de Acionistas assinado por ele, Victor, em 2001, a presença dele no conselho da holding do grupo tornou-se insustentável".

"Além disso", continua a nota, "a decisão da família Gradin, comunicada em entrevista à imprensa, de investir em negócios nos quais a Odebrecht atua, caracteriza situação de concorrência direta, o que naturalmente impede que Victor Gradin continue ocupando posição de confiança na holding da Organização Odebrecht."

Em entrevista recente ao Estado, Bernardo e Miguel Gradin, filhos de Victor e ex-executivos do Grupo Odebrecht, informaram estar analisando novas oportunidades de negócios e que têm conversado com fundos e empresas que querem se instalar no Brasil.

Apesar de ter sido destituído do conselho da Odebrecht S/A, Victor Gradin continua como conselheiro da Odebrecht Investimentos (Odbinv, a controladora da Odebrecht S/A), por conta de sua participação de 20,6%. É no conselho da Odebrecht S/A, presidido por Emílio Odebrecht, que são tomadas as principais decisões em relação aos rumos do grupo.

Ao contrário do que se previa, a família Gradin não questionou a destituição de Victor do conselho. Pelo menos por enquanto, essa deve ser a estratégia, segundo seus advogados. A assembleia, que durou cerca de duas horas, teve um clima de normalidade e aparente cordialidade.

A Graal, que representa a família Gradin, pediu, em contrapartida, a instalação de um conselho fiscal. Um dos três membros (já eleitos ontem) foi indicado pelos Gradin. A principal função desse conselho é fiscalizar a gestão dos administradores da empresa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.