Oferta do JBS pela Sara Lee pode chegar a US$ 13,4 bi

Segundo a agência ''Bloomberg'', proposta apresentada pelo grupo brasileiro é de US$ 21 por ação

, O Estado de S.Paulo

26 de janeiro de 2011 | 00h00

NOVA YORK

O grupo brasileiro JBS, maior processador mundial de carne bovina, planeja oferecer cerca de US$ 21 por ação pela companhia americana de alimentos Sara Lee Corp, de acordo com a agência Bloomberg News, que menciona duas pessoas familiarizadas com a negociação.

Por meio desta oferta, a Sara Lee seria avaliada em US$ 13,4 bilhões, isto é, 14% acima do preço de fechamento da segunda-feira, de US$ 18,36 por ação. Anteriormente, o JBS teria feito uma oferta de US$ 17,50 por ação pela Sara Lee, mas a proposta foi considerada baixa pelo grupo americano.

O JBS informou suas intenções à Sara Lee na noite de segunda-feira, dizendo que planejava apresentar uma oferta formal ontem, segundo as fontes. Não foi possível determinar o preço exato envolvido na proposta e o JBS ainda pode mudar de ideia. Os porta-vozes das duas companhias ainda não quiseram comentar.

Na segunda-feira, fontes disseram ao Wall Street Journal que a Sara Lee estaria disposta a vender seus ativos se recebesse uma proposta na faixa dos US$ 20 por ação. A agência Reuters também havia relatado que o JBS fez uma oferta verbal à Sara Lee, mas não especificou o preço.

O fundo de private equity Blackstone Group vem trabalhando junto com o JBS numa oferta e estaria interessado em assumir as operações da Sara Lee com café, de acordo com a Bloomberg e a Reuters.

No Brasil, a Sara Lee é líder no mercado de cafés, tendo sob seu controle marcas como Café Pilão, Café Caboclo, Café do Ponto e Seleto, entre outras. No final de novembro, a empresa americana anunciou a compra da paranaense Café Damasco, em um negócio estimado em R$ 100 milhões, que serviu para consolidar sua liderança no setor.

Oferta rival. A Sara Lee avalia também uma proposta apresentada por um consórcio liderado pelo grupo de private equity Apollo Global Management, em parceria com o investidor C. Dean Metropoulos. A Reuters citou uma fonte dizendo que o conselho da Sara Lee se reunirá hoje e amanhã para avaliar as ofertas.

A Sara Lee também vinha avaliando a hipótese de cindir suas operações com carnes e bebidas e colocá-las à venda. O negócio com carnes poderia despertar o interesse de outras concorrentes, como a americana Smithfield Foods, por exemplo.

As ações da Sara Lee na Bolsa de Nova York (Nyse) subiram 6,97% nesta terça-feira, para US$ 19,64. No início do dia, chegaram a registrar US$ 20,26, seu maior preço desde outubro. / DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.