Oferta monetária da zona do euro cresce menos em novembro

Mesmo com as injeções de liquidez do BCE, a oferta cresceu 2% no mês passado,depois de ter se elevado 2,6% em outubro

Danielle Chaves, da Agência Estado,

29 de dezembro de 2011 | 08h25

A taxa de crescimento da oferta monetária na zona do euro se desacelerou em novembro, mesmo com o Banco Central Europeu (BCE) dando continuidade à injeção de liquidez no debilitado setor bancário do bloco. Segundo dados do BCE, em termos anuais, a oferta monetária M3 cresceu 2,0% em novembro, depois de ter crescido 2,6% em outubro. O resultado ficou abaixo da previsão dos economistas de alta de 2,5%.

Na comparação de três meses, de setembro a novembro, a oferta M3 aumentou 2,5% em comparação com o avanço de 2,8% nos três meses imediatamente anteriores. O número também ficou abaixo da estimativa de 2,7%.

Os empréstimos do setor privado subiram 1,7% em novembro, após o crescimento de 2,7% registrado em outubro. O menor crédito para o setor privado destaca os receios de uma crise de crédito na zona do euro enquanto os bancos se tornam cada vez mais cautelosos sobre conceder empréstimos para a economia real. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
BCE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.