Oficinas mecânicas acusam seguradoras de formar cartel

Um grupo de cerca de 300 donos de oficinas mecânicas de São Paulo desembarcou hoje em Brasília para cobrar medidas contra as seguradoras, a quem acusam de "práticas predatórias" - como a formação de cartel. "Nos últimos cinco anos, cerca de 16 mil empreendimentos em São Paulo fecharam as portas devido a uma ação predatória das seguradoras", disse o presidente do Sindicato das Indústrias de Funilaria e Pintura do Estado de São Paulo (Sindifupi), Angelo Coelho. De acordo com o sindicato, o fechamento dessas pequenas e médias empresas provocou a demissão de 60 mil pessoas.Eles acusam as seguradoras de manterem uma rede credenciada de concessionárias e oficinas para a realização dos serviços de reparação de automóveis em caso de acidentes. Segundo Coelho, os clientes acabam sendo induzidos a procurar as credenciadas pela oferta de vantagens e descontos no valor das franquias pelas seguradoras, o que inibe a busca de outras oficinas que não são credenciadas. "A liberdade de escolha dos consumidores, garantida no Código de Defesa do Consumidor, também está sendo violada", disse.Os empresários ainda entregaram o documento a parlamentares que integram uma CPI que investiga roubos e desmanche de carros e ao Ministério da Justiça. Segundo ele, a criação de uma rede de oficinas acaba muitas vezes levando a uma imposição no fornecimento de peças usadas, não originais, e que podem ser extraídas em desmanches de carros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.