OGX diz que Campo de Rêmora está em fase de estudos preliminares

Segundo a petrolífera, esse campo possui menor potencial de produção de hidrocarbonetos

Agência Estado,

30 de julho de 2013 | 09h42

A OGX informou que o Campo de Rêmora está em fase de estudos preliminares e deverá ser realizado de forma complementar ao desenvolvimento do Campo de Tubarão Martelo.

A informação consta de resposta a questionamentos da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a respeito do fato de a companhia não ter enviado fato relevante sobre esse campo. A OGX esclarece também que o campo possui menor potencial de produção de hidrocarbonetos e que, justamente por esse motivo, entende que "a mera declaração de sua comercialidade não enseja a divulgação de Fato Relevante ou Comunicado ao Mercado".

A companhia explicou ainda que não divulgou fato relevante sobre a aprovação pela Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) da celebração de contrato de penhor de óleo como garantia ao Plano Exploratório Mínimo dos blocos arrematados pela Companhia na 11ª rodada de licitações porque considera que não é, por si só, um acontecimento que motive divulgação, visto que se trata apenas de mais um de uma série de documentos exigidos para a assinatura dos contratos de concessão.

A OGX destacou que, ainda tendo em vista a definição do nível de produção por poço do campo de Tubarão Azul, a companhia acertou com a ANP a apresentação de uma revisão do Plano de Desenvolvimento do mesmo, a qual foi entregue à ANP em 30 de abril de 2013. "A administração da companhia entende que a reapresentação realizada é prática comum às empresas de exploração e produção de óleo e gás, não ensejando, portanto, a divulgação de Fato Relevante ou mesmo Comunicado ao Mercado", afirma.

Tudo o que sabemos sobre:
OGX

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.