Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Oi ''economiza'' R$ 1 bilhão na compra da BrT

Adesão dos minoritários à oferta de compra de ações feita em junho foi menor que a esperada pelo grupo

Mônica Ciarelli, O Estadao de S.Paulo

27 de agosto de 2009 | 00h00

A operadora de telefonia Oi desembolsou R$ 1 bilhão a menos do que esperava com a aquisição das ações dos minoritários da Brasil Telecom, em oferta pública de compra de ações feita no final de junho, segundo o diretor de Finanças e Relações com Investidores da Oi, Alex Zornig. "A adesão foi boa, de 73%, mas, nós estávamos esperando um pouco mais, em torno de 85%", afirmou. No total, a Oi desembolsou cerca de R$ 2,7 bilhões nessa oferta pública.Além dessa "economia" inesperada, Zornig apresentou também outros ganhos com a integração da BrT à Oi, traçando um cenário bastante positivo da operação. De acordo com o executivo, os benefícios com a sinergia entre as duas empresas devem chegar a R$ 1 bilhão em 2010. Isso porque a união das companhias deu maior poder de barganha na negociação com fornecedores.O grupo conseguiu, por exemplo, economizar R$ 350 milhões no acordo fechado com a Nokia Siemens e a chinesa Huawei para a compra da rede de telefonia móvel de terceira geração (3G) que será instalada em São Paulo e na área de concessão da Brasil Telecom. O custo total do contrato somou R$ 1,3 bilhão. "Esse é o maior contrato de compra em telefonia móvel", disse. E completou: "Eles (fornecedores) têm interesse em vender para a maior empresa de telecomunicações do País."CAPTAÇÃODepois de emitir cerca de R$ 3 bilhões em debêntures este ano, a Oi também confirmou ontem que planeja novas captações para 2009 ou início de 2010. "Estamos pensando sim, mas ainda não posso falar", disse Zornig, após uma reunião promovida pela Apimec-Rio.Segundo ele, a redução do endividamento do grupo é prioridade para a atual administração, que trabalha para baixar a dívida até 2012, de modo que ela passe a corresponder a 1,8 vez a geração anual de caixa. Atualmente, a relação está em 2,4 vezes. "Se der, (faremos a captação) ainda este ano. Se não, fica para o começo do ano que vem - (2010) é um ano de eleição e você nunca sabe como vai estar o mercado", explicou.O endividamento da operadora cresceu após a compra da Brasil Telecom, no final do ano passado. Zornig conta que 2010 será o pico no cronograma de amortização do grupo, quando vencem R$ 7,4 bilhões em dívidas. O executivo lembra que o ciclo de queda da taxa Selic no Brasil tem beneficiado a companhia. Para cada ponto porcentual de corte na taxa básica, a Oi calcula uma economia de R$ 220 milhões a R$ 230 milhões com pagamento dos juros incidentes sobre a dívida.Entretanto, a companhia preferiu adotar uma postura conservadora na elaboração do orçamento para 2010 e não previu novas reduções. Zornig acredita, porém, que o governo ainda tem espaço para baixar os juros, o que colaboraria para um alívio no nível do endividamento do grupo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.