Oi já estuda mercado na Argentina e na Venezuela

A Oi (antiga Telemar) está avaliando ativos na Argentina e na Venezuela, dentro de um projeto futuro de expansão da empresa, após a compra da Brasil Telecom. O presidente da Oi, Luiz Eduardo Falco, disse hoje que ainda não definiu que negócios fará fora do País, mas que podem ser tanto operações que comecem do zero ou aquisições de empresas. "Tem alguns ativos acontecendo na Argentina e na Venezuela. Não é aquele espetáculo que foi antes, porque o pessoal (da Telmex e da Telefónica) chegou na frente", afirmou.Depois de participar de audiência pública na Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara, Falco disse que a previsão de investimentos de US$ 15 bilhões para a expansão de operações fora do Brasil levou em consideração a perspectiva de conseguir 30 milhões de clientes. Ele voltou a afirmar que esse investimento pode ser feito de várias maneiras, como captação de recursos ou troca de ações. "Pode chegar uma empresa hipoteticamente da Argentina e falar ''em vez de eu te dar dinheiro e você ir embora, você se anexa à minha empresa e fica com um pedaço dessa empresa maior, e, portanto, eu te dou nada", afirmou.Segundo ele, isso pode ocorrer com todos os países de língua portuguesa assim como com todos os países latino-americanos. Segundo ele, os alvos dessa futura empresa, fruto da Oi e Brasil Telecom, serão todos aqueles que representem oportunidades. "O que a gente quer é comprar um monte de coisa, barato para caramba. O problema é que tem mais gente querendo isso também", disse. Mas para isso, afirmou, é preciso consolidar primeiro a empresa nacionalmente e depois dar os primeiros passos fora do País. "Nossa preocupação é fazer isso rápido para que tenhamos efetivamente 100 milhões de clientes em cinco anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.