finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Oito grupos apresentaram propostas para a BR-050, diz ANTT

Leilão para do trecho de 436 quilômetros de extensão da rodovia federal será na próxima quarta-feira, 18

Eduardo Rodrigues, Agência Estado

13 de setembro de 2013 | 18h57

BRASÍLIA - A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) divulgou, na noite desta sexta-feira, 13, a lista dos oito grupos que apresentaram propostas para o leilão do trecho da rodovia BR-050, que acontecerá na próxima quarta, 18. Para o lote da BR-262, incluído no mesmo certame, não houve grupo interessado. O prazo para entrega das ofertas na sede da BM&FBovespa terminou nesta sexta-feira, 13, às 17h.

A lista dos interessados pela BR-050 inclui Arteris; Construtora Queiroz Galvão; Triunfo Participações e Investimentos; Companhia de Participações em Concessões; Consórcio Verdemar (formado por Ecorodovias, Construtora Cowan, Coimex Empreendimentos, Rio Novo Locações, Tervap Pitanga Pavimentação, Contek Engenharia, A. Madeira Indústria e Comércio e Urbesa Administração); Consórcio Rodovia do Sertão (formado por Fidens Engenharia, Construtora Aterpa M. Martins, Via Engenharia, Construtora Barbosa Mello e Carioca Chistiani-Nielsen Engenharia); Consórcio Invepar-Odebrecht Transport (formado por Invepar e Odebrecht Transport); além do Consórcio Planalto (formado por Senpar, Construtora Estrutural, Construtora Kamilos, Ellenco Construções, Engenharia e Comércio Bandeirantes e Greca Distribuidora de Asfaltos).

Entenda. O trecho da rodovia federal 050 que será leiloado tem 436 quilômetros de extensão, desde o entroncamento com a BR-040, em Cristalina (GO), até a divisa de Minas Gerais e São Paulo, no município de Delta. A estrada já tem 218,1 quilômetros duplicados. O trecho da BR-262 tem 375,6 quilômetros do entroncamento com a BR-101 no município de Viana (ES) até a BR-381 em João Monlevade (MG), sendo que 180,5 quilômetros de duplicação estão a cargo do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

Os dois trechos são considerados por analistas de mercado como os mais interessantes dentre os nove que serão concedidos pelo governo federal à iniciativa privada por conta da perspectiva de forte tráfego e de menor exigência de investimentos (Capex). De acordo com o teto estipulado pelo governo, os usuários pagarão no máximo R$ 7,87 a cada 100 quilômetros de tarifa na BR-050 e R$ 11,26 na BR-262.

O último trecho leiloado pelo governo federal, a BR-101 no Espírito Santo, no início de 2012, apresentou deságio de mais de 45%.

Para a BR-050 e a 262, as obras de duplicação precisam estar prontas no prazo de cinco anos, com permissão para a concessionária cobrar tarifa só após a conclusão de, ao menos, 10%. A concessão tem prazo de 30 anos e a taxa interna de retorno (real) é de 7,2% ao ano.

Tudo o que sabemos sobre:
concessoesANTT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.