Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Olacyr de Moraes, o 'Rei da Soja', morre aos 84 anos em São Paulo

Empresário foi vítima de um câncer no pâncreas, descoberto no início de 2014; Olacyr investiu em pesquisas importantes para o desenvolvimento do agronegócio na região Centro-Oeste

O Estado de S. Paulo

16 de junho de 2015 | 11h57

(Atualização às 16h45)

O empresário Olacyr de Moraes morreu na madrugada desta terça-feira, 16, aos 84 anos, em São Paulo. Ele foi vítima de um câncer no pâncreas, descoberto no início de 2014. O corpo de Olacyr foi cremado nesta tarde no Cemitério Horto da Paz, em Itapecerica da Serra.

Ele começou com uma pequena transportadora de pedras para a Prefeitura de São Paulo, se transformou em empresário, dono de banco, construtor de hidrelétrica, metrô e ferrovia, além de ter sido o maior produtor individual de soja do mundo e um dos maiores de algodão e milho do Brasil. 

Olacyr Francisco de Moraes nasceu em Itápolis, interior do estado de São Paulo, no dia 1º de abril de 1931. Aos 8 anos, seus pais se mudaram para a capital paulista, e aos 14 Olacyr começou a trabalhar com o pai como vendedor de máquinas de costura. Seu pai então comprou uma pequena transportadora, onde Olacyr trabalhava de mecânico à contador.

Aos 19 anos, junto com o irmão Odimir e seu pai, Olacyr começou a carreira de empresário com uma empresa de transporte de cargas. Ele passou a prestar serviços para a Prefeitura de São Paulo com transporte de pedras para a pavimentação de ruas.

Em 1957 nascia a empresa Construção e Transportes Constran Ltda, que passou a executar diversas obras públicas em São Paulo. Em 1971 Olacyr resolveu abrir da Constran, que passou a atuar em todos os ramos de engenharia civil, construindo aeroportos, ferrovias, pontes e viadutos, emissários submarinos, usinas, portos e túneis.

A ministra da Agricultura, Kátia Abreu, divulgou nota na qual diz que o empresário deixa uma lição de empreendedorismo. "Construiu um império que lhe valeu o epíteto de Rei da Soja, até mesmo além de nossas fronteiras. Foi o maior produtor mundial e não se limitou à agricultura, investindo também em outras áreas, como a construção civil", disse a ministra. "Que sua capacidade produtiva, sua determinação e iniciativa, típicas de um Brasil realizador, volte a contagiar o país em benefício do nosso crescimento econômico."

Agronegócio. Em 1967, Olacyr e um grupo de empresários criaram a Orpeca S.A., cujo objetivo era a criação e a engorda de gado no norte do Estado do Mato Grosso, até então uma região sem infraestrutura em meios de transporte. 

Em 1973, iniciou a atividade agrícola com a constituição da empresa Itamarati Agro Pecuária S.A., localizada na cidade de Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul. A Fazenda Itamarati tinha uma área total de 50 mil hectares, onde eram cultivados principalmente soja, milho, arroz, trigo e algodão. 

Olacyr precisou investir em pesquisa, pois o solo da região não era o ideal para os espécimes de soja produzidos no Brasil. Em convênio com a Embrapa e a Universidade Federal de Viçosa, foram desenvolvidas mais de 3 mil linhagens diferentes de soja e trigo, até achar a que geraria a maior produtividade na região.

As técnicas de otimização desenvolvidas por ele alçaram Olacyr ao título de "Rei da Soja" nos anos 80, por ter se tornado o maior produtor individual de soja do mundo. Na época, seu império reunia 40 empresas e seu patrimônio era avaliado em US$ 1,2 bilhão. 

Tudo o que sabemos sobre:
Olacyr de Moraesrei da soja

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.