OMC adotará dia 1º relatório que condena sobretaxa dos EUA

A Organização Mundial do Comércio (OMC) deve adotar um relatório na próxima semana declarando ilegais as sobretaxas ao aço importado nos EUA, abrindo caminho para uma rápida retaliação de alguns de seus maiores parceiros comerciais. Autoridades da OMC confirmaram que o relatório está na agenda da reunião do dia 1º de dezembro do órgão de acertos de controvérsias após um pedido da União Européia e de sete outros países, entre eles o Brasil. A adoção é uma formalidade e não pode ser bloqueada pelos EUA. A UE ameaça aplicar tarifas equivalentes a US$ 2,2 bilhões a importações dos EUA, encarecendo muitos desses bens - de suco de laranja a pijamas - se o governo do presidente George Bush não remover as sobretaxas imediatamente. O governo norueguês disse na sexta-feira que vai começar a impor tarifas de 30% sobre cerca de US$ 12 milhões em produtos importados dos EUA a partir de 6 de dezembro. A lista inclui produtos de aço, maçãs e armas de caça. Em Tóquio, a agência de notícias Kyodo informou no sábado que o Japão também planeja impor uma sobretaxa de 30% sobre US$ 98 milhões em produtos siderúrgicos dos EUA se Washington não retirar as sobretaxas até 30 de novembro, domingo próximo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.