OMC decide que tarifa sobre aço europeu é abusiva

A Organização Mundial do Comércio (OMC) decidiu que as tarifas de importação impostas pelos EUA sobre certos produtos de aço exportados pela União Européia violam as normas da organização. O julgamento é preliminar e precisa de ratificação, o que deverá sair em junho.A decisão não se refere às medidas protecionistas anunciadas em março pelo presidente dos EUA, George Bush, e sim a 14 tarifas norte-americanas sobre as exportações de siderúrgicas européias que são ex-estatais, como a Ilva, da Itália, a Usinor e a GTS, da França, a Corus, do Reino Unido, e a Aceralia, da Espanha.Quando essas empresas foram privatizadas, os EUA argumentaram que elas haviam se tornado competitivas somente por causa de anos de apoio de seus respectivos governos. O argumento europeu aceito pela OMC foi o de que os investidores compraram essas companhias a preços justos e não havia benefícios remanescentes de subsídios concedidos anteriormente."Este é mais um argumento para a União Européia de que os EUA deveriam repensar a maneira como trata seus parceiros comerciais na área de aço", afirmou Richard Weiner, chefe do departamento de comércio internacional da firma de advocacia Hogan & Harston, que representa no processo a italiana Acciai Speciali Terni, subsidiária da alemã ThyssenKrupp.

Agencia Estado,

15 de maio de 2002 | 14h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.