OMC deve dar palavra final sobre Embraer/Bombardier

A Organização Mundial do Comércio (OMC) deve anunciar na segunda-feira se confirma ou não a sua decisão anterior de responsabilizar o Canadá por ter quebrado as regras internacionais ao oferecer subsídios para as exportações de aeronaves da Bombardier, em prejuízo das exportações da brasileira Embraer. A expectativa en Genebra é de que a decisão anterior favorável ao Brasil seja confirmada. A disputa entre o Canadá e o Brasil é tão acirrada nesta área que representantes dos governos dos dois países vão se reunir no dia 8 de fevereiro em Nova York para tentar negociar um acordo que termine esta disputa que se prolonga há anos.Carta enviada ao Financial Post do Canadá, pelo vice-presidente da Embraer, Henrique Rzezinski diz que diante da atitude do governo canadense no passado, fica difícil dar um voto de confiança ao Canadá nas negociações. O executivo da Embraer mencionou ações do governo canadense no passado, que segundo ele, incluiram a não revelação de alguns subsídios e de informações suficientes para o painel de árbitros da OMC.Uma autoridade canadense contatada pelo Financial Post refutou a declaração de Rzezinski, alegando que a Embraer é "que não tem interesse no fim da guerra de subsídios, que poderá significar o fim dos financiamentos com taxas de juros menores que ajudaram a empresa brasileira a se tornar a segunda maior fabricante de aviões regionais do mundo", após a Bombardier.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.