OMC divulga decisão sobre disputa Embraer/Bombardier

A Organização Mundial do Comércio (OMC) divulga amanhã a decisão final sobre a disputa no setor de aeronaves envolvendo a Embraer e a Bombardier. O relatório poderá confirmar a versão preliminar do relatório da OMC, que decretou a ilegalidade dos programas de exportação do Canadá, alegando que os subsídios prejudicam as vendas dos jatos brasileiros no mercado internacional. No ano passado, o Brasil pediu que os árbitros da OMC avaliassem três mecanismos de financiamento do Canadá: o programa de apoio da província do Quebec, local da sede da Bombardier, o Canadá Account e o Corporate Account. Na versão preliminar do relatório da OMC, um dos principais pontos foi a condenação do apoio dado por Ottawa à Bombardier na venda de 150 jatos à companhia americana Air Winsconsin, no começo do ano passado. O Brasil se queixava de que, ao ajudar essas exportações, o Canadá comprometia a competitividade da oferta feita pela Embraer à companhia dos Estados Unidos - como de fato ocorreu. Apelação - Com a publicação do relatório, todas as atenções estarão voltadas para saber se Ottawa irá, ou não, apelar a decisão da OMC, o que prolongaria mais uma vez o contencioso que já dura mais de cinco anos. Caso os canadenses peçam uma revisão do caso, a disputa iria para o Órgão de Apelação da OMC, que voltaria a analisar de que forma os aviões da Bombardier são exportados. O Brasil não esconde que o ideal para o País seria a aprovação do relatório da OMC o mais rápido possível, fechando as possibilidades para que o Canadá apele. Mas um dos cenários mais prováveis é de que os canadenses primeiro esperem o encontro com o Brasil, marcado poara o dia 8 de fevereiro em Nova Iorque, para decidir se apelam para uma nova avaliação por parte da OMC. O objetivo da reunião será debater uma saída "pacífica" para a disputa. Durante a última semana, o ministro do Comércio do Canadá, Pierre Pettigrew, declarou que a disputa entre os dois países teria que ser solucionada ainda neste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.