OMC marca reunião com Banco Mundial e FMI para discutir crise

Reunião será realizada em Genebra no dia 12 de novembro; entidades discutirão impacto no mercado financeiro

Deise Vieira, da Agência Estado,

10 Outubro 2008 | 13h51

A Organização Mundial do Comércio (OMC) convidou nesta sexta-feira, 10, entidades da área de desenvolvimento e bancos comerciais para um encontro em Genebra no dia 12 de novembro para discutir o impacto da crise econômica no mercado financeiro. "Alguns membros da OMC, principalmente de países em desenvolvimento, já indicaram os problemas que estão enfrentando por conta da crise", afirmou o diretor-geral da OMC, Pascal Lamy.   Veja também: Ações da BM&FBovespa tiveram pior desempenho no ano entre 17 bolsas Bush receberá ministros do G7 na Casa Branca Como o mundo reage à crise  Reino Unido congela ativos do banco islandês Landsbanki FMI age para garantir crédito a emergentes Confira as medidas já anunciadas pelo BC contra a crise Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira    "O propósito de nosso próximo encontro será revisar como está a situação do mercado internacional para o financiamento de negócios em meio a condições de grande dificuldade nos mercados financeiros", acrescentou.   Entre os convidados para o encontro em novembro estão o diretor do Banco Mundial, Robert Zoellick e o diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, além dos presidentes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), do Banco Asiático de Desenvolvimento (BAD) e do Banco Africano de Desenvolvimento.   Representantes do Citigroup Inc., do Commerzbank AG, do Royal Bank of Scotland Group PLC, do JP Morgan Chase & Co. e do HSBC Holdings PLC também foram convidados, já que estes são os bancos mais ativos no mercado financeiro.   Segundo Lamy, um encontro do Comitê de Negociações Comerciais da OMC pode funcionar como um modelo de como regular de uma nova forma o sistema financeiro global em meio a crise.   "Em um momento em que há vários pedidos por uma regulação melhor na área financeira, o sistema da OMC fornece um exemplo de como as lições na História e a experiência têm levado à construção de um sistema de governança internacional", afirmou Lamy.   Ele alertou sobre a adoção de medidas protecionistas por alguns países em meio à crise, apesar de tentações políticas. "O papel da OMC como um 'muro' contra respostas protecionistas é vital", acrescentou Lamy. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
OMC Crise nos EUA crise financeira

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.